quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Natal?

Bom, minha opinião a respeito é comentar e rasgar o verbo devido ao fato de ser uma data leva muita gente à hipocrisia. Deveria ser diferente no meu inutil ponto de vista. Todos ficam bonzinhos de repente; se solidarizam com qualquer coisinha que antes estava tão patente aos seus olhos e nem dava importancia, mas agora como é natal, todos doam presentes, até saem pra levar comida de noite pra algum morador de rua...
Como que antes não o fazem? sabe, é como se devessemos lembrar de alguem uma vez por ano !! Sem falar na situação das crianças !! notou não?
Todas as crianças esperam o "papai noel" na noite de natal com um presente :,(....e em algumas casas o tal não passa e as crianças choram porque passou na casa do vizinho e nao ali ao lado que estava tão pertinho...e ainda dizem que é uma data mágica ...
Lembre-se do natal sim como uma data de um começo bom e de esperança de uma mudança naquilo que não anda bem !! Porque o nascimento de Cristo não foi em dezembro, mas lembre-se que ele nasceu um dia pra mudar te ajudar com uma nova história estando com voce todos os dias e naõ passando uma vez por ano na casa de uns e outros naõ !!
bjssss

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Si yo soy loco

Venga hacer el cariño en mi cara
Ponga sobre mi cuerpo su boca
deja su respiracion en mis oydos
recuerdame de sus palabras de ayer
y entonces mirame con sus ojos de calor
y dejame caliente por su prazer!
entonces yo diré que mi amor es tuyo
y puedes mirar por la ventana de mi alma
la cancion que ha hecho
soy cantante de el amor
hasta que su mirada no me dejes
olvidar la calma !
.
soy yo
>-º<
rico

sábado, 15 de dezembro de 2007

Aprendendo com a vida

Coisas que a vida nos ensina com o passar do tempo
Amor não se implora, não se pedenão se espera...
Amor se vive ou não.
Ciúmes é um sentimento inútil porque
Não torna ninguém fiel a você.
Animais são anjos disfarçados,
mandadosà terra por Deus para mostrar ao homem o que é fidelidade.
Crianças aprendem com aquilo que você faz,não com o que você diz.
As pessoas que falam dos outros pra você, vão falar de você para os outros.
Perdoar e esquecer nos torna mais jovens.
Água é um santo remédio.
Deus inventou o choro para o homem não explodir.
Ausência de regras, é uma regra que depende do bom senso.
Não existe comida ruim, existe comida mal temperada.
A criatividade caminha junto com a falta de grana.
Ser autêntico é a melhor e única forma de agradar.
Amigos de verdade nunca te abandonam.
O carinho é a melhor arma contra o ódio.
As diferenças tornam a vida mais bonita e colorida.
Há poesia em toda a criação divina, Deus é o maior poeta de todos os tempos.
A música é a sobremesa da vida.
Acreditar, não faz de ninguém um tolo.
Tolo é quem mente.
Filhos são presentes raros.
De tudo, o que fica é o seu nome e as lembrançasa cerca de suas ações.
Obrigada, desculpa, por favor, são palavras simples,
mas chaves que abrem portas para uma vida melhor
O amor... Ah, o amor...
O amor quebra barreiras, une facções,destrói preconceitos, cura doenças...
Não há vida decente sem amor!
E é certo, quem ama, é muito amado.
´.`

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Confesso

Confesso que desesperei
E em um canto escuro me escondi e chorei
Cheguei a pensar que não sairia mais daquele buraco
E estava me convencendo que deveria permanecer ali feito um "humanatus".

Confesso que pensei não conseguir
E nas noites frias sozinho
Sem ter alguem por perto não me aquecia
Sabendo quase todos naquela hora dormia
E eu me virando em um pequeno espaço
Procurando uma posição confortável eu via
A chuva caindo, o dia amanhecendo e eu me virando e nada conseguia.

Confesso que pensei em procurar um lugar
Onde minha cabeça pudesse pousar
Já que meus pensamentos voavam
Em mil possibilidades e só dois deles me faziam chorar.

Confesso que tenho muita coisa pra escrever aqui
Mas não posso contar
As reticências falarão por mim
Até que nas possibilidades de um mar quase sem fim
Passe com um grande navio de coragem
E me leve para onde quero chegar...
...
...
...
...
...
...
...
...
>-º<

sexta-feira, 30 de novembro de 2007

o gato

Curiosidades Felinas


· Homens e gatos possuem a mesma região do cérebro responsável pelas emoções.· O cérebro do gato é mais similar ao do homem do que ao do cão. · O gato possui mais ossos do que os humanos. Enquanto o homem possui 206, os gatos possuem 245 ossos. · Os gatos possuem 30 vértebras, 5 a mais que os humanos.
· Gatos possuem 32 músculos que controlam suas orelha. Ele pode girar suas orelhas, independentemente, a quase 180 graus, e 10 vezes mais rápido do que o melhor cão de guarda.· A audição dos gatos é muito mais sensível do que a dos homens e cães. Seus ouvidos afunilados, canalizam e amplificam os sons como um megafone.· Os gatos ouvem até 65 khz (kilohertz), enquanto que os homens ouvem até 20 khz.
· Em proporção ao corpo, os gatos são os mamíferos que possuem os maiores olhos.·Um gato enxerga 6 vezes melhor do que um humano à noite, porque necessita de 1/6 da quantidade de luz necessária ao homem para enxergar. · Recentes estudos revelaram que os gatos podem ver o amarelo, azul e o verde. Ainda não se sabe ao certo, se conseguem ver o vermelho, provavelmente essa cor é vista como cinza ou preto..
· O campo de visão de um gato é de 185 graus.. Os gatos sacrificaram os detalhes e as cores pela capacidade de enxergar com pouquíssima luz. Eles não conseguem enxergar pequenos detalhes, vêem o mundo desfocado.. Por serem muito sensíveis à luz, os olhos dos gatos possuem pupilas verticais. Quando totalmente abertas, ocupam uma área proporcionalmente maior do que a pupila do homem.. No fundo do olho, os gatos tem uma camada de células denominadas "tapetum lucidum". A luz, após absorção, é refletida por essas células de volta para a retina, para que seus receptores tenham uma segunda chance de captá-la. Isso aumenta a eficiência dos receptores da retina em cerca de 40%.· Gatos de olhos azuis e brancos de pelagem, são geralmente surdos.· Leva cerca de 2 semanas para o filhote ouvir bem e seus olhos abrem em média com 7 dias.
· O gato possui aproximadamente 60 a 80 milhões de células olfatórias. O homem possui entre 5 a 20 milhões. · Os gatos possuem um órgão olfatório especial no céu da boca, chamado: Orgão de Jacobson. É um analisador de odores e é por isso que as vezes vemos os gatos abrir a boca estranhamente (riso sardônico), quando sente odores fortes.
· O gato possui um total de 24 bigodes, agrupados de 4 em 4. Seus bigodes são usados para medir distâncias.
· Gatos têm 30 dentes, enquanto os cães possuem 42. Os dentes de leite são substituídos pelos permanentes, por volta dos 7 meses de idade.
· Os gatos andam na ponta dos dedos.. As patas do gato possuem receptores muito sensíveis que levam informações, na velocidade da corrente elétrica, até o cérebro: exploram coisas novas, sentem os alimentos, a velocidade do que passa sobre elas.· O gato doméstico pode correr a uma velocidade de 50 km/h

· Quase 10% dos ossos dos gatos se encontra na cauda, e esta é responsável pela manutenção do seu equilíbrio.· O gato doméstico é a única espécie que consegue manter a sua cauda ereta enquanto anda. A cauda também é demonstrativo do estado de humor do gato.
· Quando o gato está assustado, seu pêlo se eriça por todo o corpo. Quando ele vai atacar, o pêlo se eriça somente numa estreita faixa sobre a coluna vertebral.
. Gatos esfregam o rosto em objetos e pessoas para marcar com o seu cheiro, como uma assinatura. O odor é deixado por glândulas, que possuem na parte anterior do rosto.. Fêmeas esfregam o corpo em machos que querem e também, de uma forma geral, todos se esfregam naqueles que sabem serem maiores e mais fortes, mas não quer dizer que o considerem superiores. É uma deferência e um pedido de amizade.
· O Maicis, o primitivo ancestral dos gatos, era uma pequena criatura que vivia em árvores há 45/50 milhões de anos.
· O Maine Coon é a única raça natural de gatos da América. · Existem cerca de 100 raças de gatos.
· Gatos respondem mais facilmente a nomes terminados com som "i".
· O gato treme quando sente muita dor. · O ronronar nem sempre é por alegria e prazer. Alguns gatos ronronam alto quando estão muito assustados ou com dor.. Gatos selvagens miam muito menos do que os domésticos. Isso se deve ao fato dos gatos aprenderem que miando chamam a atenção do homem para suas necessidades.
· Os gatos são muito limpos e passam cerca de 30% de sua vida se limpando.· Quando se lavam, os gatos perdem quase tanto líquido quanto perdem na urina.
· Gatos adultos e sadios passam 15% de sua vida em sono profundo. Em sono leve por 50% de sua vida, o que deixa apenas 35% do tempo no estado acordado. Mas passam do estado de sono profunda para acordado e alerta, mais rápido do que qualquer espécie.
· Um gato é capaz de pular 5 vezes a sua altura.. O gato sempre cai de pé, desde que o tempo de queda seja suficiente, para que ele gire seu corpo e se defenda da queda, amortecendo o impacto.
· A expectativa de vida de um gato de rua (sem dono) é de cerca de 3 anos. Um gato com dono e dentro de casa, pode chegar a 16 anos. Uma fêmea chamada "Ma", viveu por 34 anos, sendo o gato que viveu mais tempo, que se tenha registro, até hoje.. Para calcular a idade do seu gato, considere que o primeiro ano de vida equivale à 15 anos humanos. Adicione 4 (anos) a cada ano a mais de vida que ele tiver.
· Napoleão Bonaparte, Dwight Eisenhower e Hitler, detestavam gatos.·Winston Churchill, Abraham Lincon, Florence Nightngale, Robert E. Lee, Sir Isaac Newton, Mark Twain, compositores como Ravel e Chopin , Buddha, Mohammed, Jules Verne, Ernest Hemingway, Henry David Thoreau, Monet, Renoir. Scarlatti and Liszt, Camille Saint-Saens, Albert Schweitzer, adoravam gatos.

postei isso pq não tinha nada pra postar...='.'=
>-º<

terça-feira, 27 de novembro de 2007

Observador

Apenas um observador do tempo vê que tudo ao seu redor lhe proporciona uma chance de viver intensamente cada momento;
não olha para as circunstâncias que lhe causam dano nem se importa com quem lhe feriu naquele antigo romance;
não vive com medo de um novo engano Um vez que sua experiência pôs o desejo ao seu alcance.

Apenas um observador do tempo pode ver que dia após dia ele envelhece e a cada conquista ele quer permanecer na convicção de que isto lhe engrandece.
Sabendo que coisas novas ainda vão acontecer
se orgulha muito do que lhe envaidece
Neste caminho que se lhe propôs a percorrer.

Apenas um observador do tempo pode bater no peito e dizer que seus cabelos brancos são a coroa de sua bravura.
E numa vida difícil acompanhada de pessoas mesquinhas seu maior desafio não é chegar na frente ou ser ovacionado
e sim não tornar seu ideal em uma frustração,
deixando seu alvo sem ser alcançado ou se perder no próprio caminho, vivendo ao invés da realidade uma ilusão

.

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Era Moderna.


A arquitetura moderna dá forma às suas novas e ousadas construções que enchem os olhos de quem aprecia uma boa e confortável estadia.
O sonho continua sendo o mesmo desde que se descobriu que era melhor seu aconchego feito de alvenaria. O silêncio fala por si só quando fecha-se os vidros de apartamentos vedados e cheios de pompa.
O dinheiro já não é mais o mesmo, que pelo passar do tempo desvalorizou-se e tirou o sono do homem, mas não o impediu de sonhar.
As dificuldades aumentaram muito devido ao crescente número da expansão demográfica, o abandono do campo e a superlotação das metrópoles que em breve tornar-se-ão em megalópoles recheadas de barracos que contrastam com a modernidade de um novo padrão.
E o homem continua sonhando, vendendo o almoço para comprar a janta;
a miséria crescendo sem contensão e com a água escassa, seca-se a garganta;
para não desanimar os que estão de fora e não causar ainda mais pânico às pessoas que estão internas, vai aqui meu conselho para o homem da era que se chama moderna:
Melhor fosse você tivesse usado suas descobertas para ampliar o lugar de onde não deveria ter saído: a sua caverna!
Rico >-°<

domingo, 25 de novembro de 2007

Lana

Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana Lana

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Sentimento

Sentimento
O sentimento que se apodera das palavras
Que faz gemer o homem forte
É capaz de promover felicidade e a vida
Mas tambem capaz de trazer a morte

O sentimento desfila nos lábios como modelos em uma passarela
colorindo o ambiente como uma aquarela
deslumbrante em novidades
de uma tendencia dominante
indescente ou inconstante
Mas imponente na sua mensagem abrangente
mostrando sua marca que prevalece
no corpo do esperto, do culpado
e tambem do inocente.

Sentimento que provoca variações de humor
Feito previsão do tempo
Trazendo precauções na atmosfera do coração
Para não ser pego de surpresa com por um forte vento
Que em velocidade alta pode deixar ruínas no peito;
E na alma da vítima um grande desalento.
Levando seu teto de segurança
Deixando-o desabrigado ao relento.
Sentimento,
sentimento.
Traga a paz e não o aborrecimento !
Viu, sentimento?
.
>-º<

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

ESCULTURA DO TEMPO
Como exímio artesão,
O tempo me sulca a pele,
Clareia meus pelos"Desmodela" meu corpo,
E me turva a visão...
Mas o que eu mais queria,
Era que sua falsa maestria
Remodelasse a ilusão.
Exímio artesão?
Pensa que tudo pode...
Desastrado cirurgião!
Só modela a argila da vida
Com o pó da solidão.
MAVISão Paulo/SP - Brasil, 47 anos, Escritora Amadora

>-°<

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Christ


this is wonderful pic...
achei isto muito criativo..bela arte e muita habilidade do escultor.
digno de ser observado. Tudo em areia.

Os céus proclamam a glória de Deus e o firmamento anuncia as obras de suas mãos.

sexta-feira, 16 de novembro de 2007

San

Eii san..deixando um grande bj e um enorme abraço pra ti aqui hoje !!
Lo voglio il meglio per lei !!

terça-feira, 13 de novembro de 2007

Forte Vento


Forte vento
forte e invencivel
imperceptivel
mas senti-lo é possivel
impetuoso ou quase desastroso
Mas brando e calmo
que traz a paz e não incalço
sopre com a força necessária
e vire a página
ainda aberta
que escrevo outra história.

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Desafios

Já pensei várias vezes em desistir de encarar um grande desafio que tenho. Mas toda vez que estou desistindo surge uma nova espectativa; uma nova porta se abre para que o desafio seja vencido. Parece que a luta será tão desgastante que me sinto muito inferior ao desafiante, e realmente o sou!
Quando olhei para esta foto que postei aqui, me senti no lugar deste jovem que aqui se encontra fotografado. Por que o desafio dele primeiro é vencer o medo. Depois o desafio dele será voltar no topo de onde ele desceu, porque chegar lá em baixo ele vai chegar com certeza, mas sabe a grande consequencia se acontecer uma queda.
O desafio dele é descer. O meu desafio não foi descer, porque isto eu fiz com tanta certeza que o simprevistos no meio da descida não me impediram de chegar vivo lá em baixo.
Agora meu maior desafio tem sido subir onde eu estava e não mais escolher um risco tão alto novamente para que da próxima vez eu não viva e não tenha outra oportunidade de subir.
Ninguem enviou um resgate para me buscar; os que assistiram não se preocuparam em saber como eu cheguei lá em baixo e não viram meus ferimentos; não se esforçaram para saber se eu precisava de ajuda depois de uma descida tão brusca e rápida.
Mas coloquei em meu coração que os que desejaram ver minha descida com certeza não desejarão me ver outra vez lá em cima. Então estou buscando forças para subir mesmo sendo devagar, mas estou subindo. Os que riram de minha descida não estão percebendo que estou subindo novamente. E quando eu chegar no topo outra vez, verão que o meu desafio foi superado e vencido.

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

A tormenta


A tormenta

A tormenta que me acalma
É o desatino que traz paz à minha alma
É o alivio que eu preciso
Mesmo sendo lágrimas em meio a um sorriso.
É a dor que me adormece
O silêncio que me estarrece
É o desejo exposto em minha prece
Quem sabe a noite que nunca amanhece.

A febre que traz frio em dia quente
A temperatura elevada de um doente
Faz-me permear o desconhecido pensamento descontente
Da loucura lúcida de uma bela mente.

Atitudes estranhas
Mudança de humor
Viagens insólitas nos labirintos do cérebro
Encontram a bonança deste delirante sonhador
Que sabe o que lhe apazigua a tempestade
Que lhe conforta e ao mesmo tempo provoca pavor.

terça-feira, 6 de novembro de 2007

esquecimento


Mais tarde em tua vida, um dia, hás de tentar, revolver da memória este tempo de agora...
Mas o mundo é uma praia, onde as ondas do mar apagam quase sempre as lembranças de outrora.
Veja bem o que a tua alma implora;
A vida é uma fonte a correr sem parar e a seguir sem voltar por este mundo afora...
Não se vive outra vez...
O que chamas presente há de ser amanhã um romance apagado que em vão procurarás reler inutilmente...
O tempo, tudo vence...
Tudo ele consome...
E se um dia talvez,
lembrares teu passado,
não mais hás de sequer reconhecer meu nome.

segunda-feira, 5 de novembro de 2007

icógnito


O vento soprou todo aquele final de semana sufocante e muito abafado. O ar era quente e o oxigenio me faltava.
Inquieto eu ficava olhando para todos os lados procurando alguma alternativa que me trouxesse um pouco de alivio ! em vão !
quando eu andava me faltava o chão
as palavras tropeçavam na lingua ao serem expostas
todos evitam as minhas perguntas porque ninguem tinha uma resposta
não vi nada alem de alguem me dando as costas.
duvidei de mim mesmo, esqueci de viver
não quis mais estar entre as pessoas; preferi me isolar para não ver mais o tempo passar
reprovei meus sentimentos
comprometi minhas estruturas com impactos negativos
corri o risco de desabar e virar um monte de entulhos
o silencio me acalmava na ausencia de barulhos
a verdade não evitei
de todas as formas, uma outra opção eu tentei
mas a mente teimava em abalar ainda mais minhas bases
por dentro é como se tivesse acontecendo um rally
onde se corre em um terreno arenoso
perigoso
cheio de curvas que a qualquer momento pode causar um capotamento
é muito estranho porque de mim mesmo, apanho
tento me ludibriar com outras coisas
distrair-me com fábulas engraçadas
mas ao invés de me trazer sossego me levam ainda mais
para uma realidade nua e crua
e me sinto uma pessoa ultrapassada
me disseram que sou apenas um cara
mas sinto uma fera domada
que não se recorda mais de sua sevageria
e seus instintos estão latentes
mas ainda existem; isto é importante.
o vento não cessou e ainda assopra sobre mim com mansos assopros
e aproveito para pedir ao vento
que me traga um novo pensamento
que me traga um novo tempo
e me abasteça com muito alento
oh vento amigo meu
seja bem mais forte que eu
não assopre sobre mim como alguem que já pereceu
mas como alguem que como Fênix
das cinzas reviveu !

>-º<..carimbo

sábado, 3 de novembro de 2007

Um segredo

quase não é mais lembrado por nós
ficou para trás sem mesmo nos deixar uma chance
nossa mente se ocupou de outras coisas
e ficamos à mercê de novas espectativas
eu disse que não te esqueceria e cumpri
você disse que jamais amaria outra pessoa
e foi isso que eu vi
então porque o tempo e o destino não nos deixou outra opção
a não ser nos abstermos um do outro?
porque não cometemos as loucuras que planejamos?
tudo porque ao invés de viver, nós morremos.

>-º<

sexta-feira, 2 de novembro de 2007

ALMA


Alma presa
Jejum forçado por completo
Pensamento vagueando por nada
A mente quase sempre cansada
Por nada
Pensando em coisa alguma
Chego a uma conclusão absurda
Que só em falar me causa náuseas
Não tenho nada alem de um coração em concordata
Vendo o corpo definhando quase sempre
Sem poder fazer nada
A dor apenas é mais um ingrediente
No caminhar deste andarilho descontente
Que se apega com coisas sólidas
Para esquecer as que estão distantes
Alma presa quase sempre se faz de tola
Queria asas para voar para longe
Sem ter medo da queda que quase sempre a persegue
Não pode isso acontecer
Pois não tem quem a carregue
Alma preocupada com tudo e com nada
Coração desamparado nem sempre contemplado
Mas é possível ver seu ritmo por causa do corpo
O qual maltrata sem dó e nem piedade
Alma sufocada
Por alguma coisa ou por nada
Alma, alma;
Mantenha a calma até que te acudam
E te tornem sarada
Com o remédio que necessitas
Que é o amor que te corrói e te atormenta.
E arde em seus olhos como pimenta.
Chore alma
Mas não deixe teu sofrimento tirar tua vida
Nem te tornar mais uma esquecida
Lamente se preciso for
Mas não morra por causa deste amor.

quinta-feira, 1 de novembro de 2007

MONÓLOGO DAS MÃOS

Para que servem as mãos?
As mãos servem para pedir, prometer, chamar, conceder,ameaçar, suplicar, exigir, acariciar, recusar, interrogar, admirar,confessar, calcular, comandar, injuriar, incitar, teimar, encorajar,acusar, condenar, absolver, perdoar, desprezar, desafiar, aplaudir,reger, benzer, humilhar, reconciliar, exaltar, construir, trabalhar, escrever......
As mãos de Maria Antonieta, ao receber o beijo de Mirabeau,salvou o trono da França e apagou a auréola do famoso revolucionário;
Múcio Cévola queimou a mão que, por engano não matou Porcena;
Foi com as mãos que Jesus amparou Madalena;
com as mãos David agitou a funda que matou Golias;
As mãos dos Césares romanos decidiam a sorte dos gladiadores vencidos na arena;
Pilatos lavou as mãos para limpar a consciência;
Os anti-semitas marcavam a porta dos judeus com as mãos vermelhas como signo de morte!Foi com as mãos que Judas pôs ao pescoço o laço que os outros Judas não encontram.
A mão serve para o herói empunhar a espada e o carrasco, a corda;
O operário construir e o burguês destruir;
O bom amparar e o justo punir;
O amante acariciar e o ladrão roubar;
O honesto trabalhar e o viciado jogar.
Com as mãos atira-se um beijo ou uma pedra, uma florou uma granada, uma esmola ou uma bomba!
Com as mãos o agricultor semeia e o anarquista incendeia!
As mãos fazem os salva-vidas e os canhões; os remédiose os venenos; os bálsamos e os instrumentos de tortura,a arma que fere e o bisturi que salva.
Com as mãos tapamos os olhos para não ver, e com elas protegemos a vista para ver melhor.
Os olhos dos cegos são as mãos.
As mãos na agulheta do submarino levam o homem para o fundo como os peixes;
No volante da aeronave atiram-nos para as alturas como os pássaros.
O autor do "Homo Rebus" lembra que a mão foi o primeiro prato para o alimento e o primeiro copo para a bebida; a primeira almofada para repousar a cabeça, a primeira arma e a primeira linguagem.
Esfregando dois ramos, conseguiram-se as chamas.
A mão aberta, acariciando, mostra a bondade; fechada e levantada mostra a força e o poder; empunha a espadaa pena e a cruz!
Modela os mármores e os bronzes; da cor às telas e concretiza os sonhos do pensamento e da fantasia nas formas eternas da beleza.
Humilde e poderosa no trabalho, cria a riqueza; doce e piedosa nos afetos medica as chagas, conforta os aflitos e protege os fracos.
O aperto de duas mãos pode ser a mais sincera confissão de amor, o melhor pacto de amizade ou um juramentode felicidade.
O noivo para casar-se pede a mão de sua amada;
Jesus abençoava com a s mãos;
As mães protegem os filhos cobrindo-lhes com as mãos as cabeças inocentes.
Nas despedidas, a gente parte, mas a mão fica, ainda por muito tempo agitando o lenço no ar.
Com as mãos limpamos as nossas lágrimas e as lágrimas alheias.
E nos dois extremos da vida, quando abrimos os olhos para o mundo e quando os fechamos para sempre ainda as mãos prevalecem.
Quando nascemos, para nos levar a carícia do primeiro beijo, são as mãos maternas que nos seguramo corpo pequenino.
E no fim da vida, quando os olhos fecham e o coração pára, o corpo gela e os sentidos desaparecem, são as mãos, ainda brancas de cera que continuam na morte as funções da vida.
E as mãos dos amigos nos conduzem...
E as mãos dos coveiros nos enterram!

terça-feira, 30 de outubro de 2007

O SENHOR É FORTALEZA

O SENHOR É FOTALEZA

Fui achado por inimigo na casa de meus irmãos
Excluído do seu convívio
Julgado por culpado depois de perseguidos passos de acusações.
Línguas afiadas prontas para combater contra mim se levantaram.
Mão amiga não encontrei se não àquela que queria minha queda.
Em todo o tempo o Senhor, sim o Deus da minha promessa não me abandonou.
E perguntava eu por quanto tempo ainda estaria palpável aos olhos dos invejosos.
Em alguns momentos o Senhor silenciou, mas logo se pôs a falar comigo.
E dizia em meu coração: tenho para ti um caminho preparado no qual não passarão os que de ti zombam.
Guarda o que tens e sê zeloso assim como foste antes de tua fatiga.
Então me alegrei diante do Senhor e fortaleci o ânimo.

segunda-feira, 29 de outubro de 2007

SIELENCIO


"MINHAS ATITUDES
SÃO
AS PALAVRAS
DO MEU
SILÊNCIO!"

A Fila


Na fila da indecisão me vi
Nada além de um simples lugar encontrei para me apoiar
Então esperei por um momento
Até que chegasse a coragem de tomar um novo rumo
Sem mesmo ver diante mim um contentamento
Algo que me colocasse em segurança do que decidi.
Pensando estava naquilo que perdi
Despertou dentro mim um desânimo
Que mesmo com palavras ouvidas naquele momento
Não me colocavam para melhor
Mesmo sendo alertas de despertamento
Então olhei para mim mesmo
Sem força alguma resolvi olhar onde me apoiara
Era algo mais forte que eu que me carregava
Quando eu em mim mesmo confiava
Um ser superior para mim olhava
E com olhar de bondade me amparava
Em minha mão segurou
E disse que daquela fila haveria de me tirar
E poria diante de mim uma nova estrada para trilhar.

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Eyes

Ausência

Tenho aqui presente a sua ausência
Que gera dentro mim uma enorme carência
O contraste visível de um sorriso no rosto
Com a tristeza no interior da aparência
Tento tirar você da minha mente com freqüência
E fico nervoso por escrever uma bobeira dessas
Sem ter muita coerência quando se esgota a paciência.
Dou risadas de sarcasmo por termos sidos tão inocentes
Deixar nos levar por uma atitude tão inconseqüente
Coisa de demente
Pessoas prudentes e inteligentes
Demos boas risadas dos bobos que pensavam tanta bobeira
Quando na verdade estávamos chorando de alguma maneira
Ninguém teve piedade quando nos expulsaram
Quando foram totalmente contrários àquilo que pregaram
Nenhum de nós pensava em morte
Apenas esperávamos a mudança da nossa sorte
O tempo passou
A sorte mudou
Nosso sorriso de verdade voltou
Escondendo as lagrimas que ainda teimam em sair de vez em quando
Não obedecendo ao nosso comando
Mas tudo bem! É a historia da nossa vida
Que não será apagada nem esquecida
Mas servirá de alento à nossa memória que ainda está aquecida
Por lembranças de momentos juntos
Que reportam a nada de um tema já perdido.

>-º<




sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Um corpo


Um corpo

Corpo que padece
Por causa da alma que está angustiada
Ferida por uma mente insana
Que brinca com o perigo
Que não é de ter amigos

Corpo que busca uma brisa
Com aromas de cura
E ventos de alívio imediato
Que abranda o desespero
De um peito esfacelado
Cheio de uma dor que dura

Corpo que pede cama
Cansado do incômodo sentimento
Aquele que é de quem ama
Que não passa, laça e aprisiona.
Não sai da cabeça; desorienta.
Tentando se livrar deste estigma que o toma.

Corpo que chora
Lamenta, não pede: Implora!
Desvanece entre seus delírios
Esvai-se em seu pranto
Por não haver em seus lábios nenhum canto
Vai desmanchando em lágrimas de desabafo
Por não ter um outro corpo
Que lhe acolhesse em seus braços.

>-º<

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

hehe

Há algum tempo alguem me contou um sonho engraçado.
Me contou que chovia cuspe. Ela olhava para cima caia cuspe em cima dela..heh
Eu não pude interpretar o sonho no dia, mas hoje já tenho uma idéia do era...
Essa pessoa achava que não haveria "amanhã" e fez tudo e aprontou todas achando que um dia não prestaria contas a ninguem ! rs
hoje vejo que a pessoa está vivendo o sonho que teve, mas com uma grande diferença. Não está chovendo saliva, e sim, ela estava era cuspindo pra cima.
ou seja, o que ela fez está voltando contra ela...eu sabia que isso iria acontecer, mas a pessoa nunca ouve ninguem !..então agora aguente!

Limite

Um dia qualquer sem menos esperar
Uma flor que desabrochou
Em um lugar onde não se imaginava
que ela poderia nascer
Um filhotinho de pardal que arrisca sair do ninho
Porque a mãe parou te trazer alimento
Um águia que bica a pedra até que seu bico caia
E nasça outro novinho no lugar
Um piloto que ejetou segundos antes do avião cair
Paraquedas reserva que quase não abriu
A mãe que pulou no rio sem saber nadar
para salvar o filho que havia caído
O bombeiro que salvou o garoto das ariranhas
E morreu horas depois por causa das mordidas que sofrera

Cada um tentando superar seu limite
Arriscando suas manobras em um mundo
que quase não espera para ver seu resultado
Cada um lutando por um pedaço de pão
Ou por um trocado
Cada um se esforçando para salvar sua vida
Na grande selva urbana
Repleta de animais irracionais que usam roupas
E falam como gente
Amores que acabam e renascem nos novos desafios
Ou limites superados
Palavras que o vento leva ou
Respostas que nunca chegam
Silêncio que apodera de algumas pessoas
E as tornam cada vez mais intelectuais
Palavras que já não saem mais
Por causa da agonia deste limite ainda não superado.
Perseguido, almejado
Que em um dia comum quase se cansa pra sempre !

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Um pouco

Sendo um pouco em um tudo
Que parece acabar em nada
Juntando pedaços de um ser
Que existe pela vontade divina
Sublime e soberana vontade.

Pedaços de uma boa mente
Restos de um forte peito
Moído pelo impacto perfeito
Mirado, alvejado, esmagado!
Quase uma perda total.

Rejuntando como um quebra-cabeças
De peças que ás vezes não se encaixam
Não cabem, não podem, não batem
Dando falsa esperança de êxito
Êxito cobrado por mim mesmo.

Sendo paciente, olhando o desenho
Fazendo nele total empenho
Juntando os pedaços e pondo-os no lugar
Acaba dando forma a origem desejada
Desejo por mim perseguido o tempo todo.

Vendo que apesar de aquilo que chamo de tudo
Quase acabar em coisa alguma,
O quase me revigora, me fortalece e desperta
Para a realidade que agora digo:
Não morri, ainda estou vivo!

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Clave


A musica provoca em nós sentimentos de alegria, tristeza, euforia; provoca lembranças, choro, riso, raiva, pode até levar-nos a tomar uma decisão. E foi ouvindo uma que decidi algumas coisas que precisavam ser resolvidas logo !
Ouvindo a musica "stand by me" que é uma das que mais gosto, seja interpretada por Ben king, John Lennon ou Rockapella, tanto faz, sempre me reporto a algo que marcou minha vida ! Quando ouço "vencedor" da Jamily, sempre vou em pensamento a um lindo lugar, cheio de conquistas, enfim, a musica faz parte da minha vida...
Por isso, hoje estou ouvindo "Northen storm" Mortification que é justamente para não correr o risco de me pegar ouvindo o que me aprisiona !
Já ouvi paciencia do Lenine pra ver se ma acalmava..
agora estou ouvindo legião vento no litoral..
pra dar uma descontraida..

Paciência


Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
A vida não pára...
Enquanto o tempo
Acelera e pede pressa
Eu me recuso faço hora
Vou na valsa
A vida é tão rara...
Enquanto todo mundo
Espera a cura do mal
E a loucura finge
Que isso tudo é normal
Eu finjo ter paciência...
O mundo vai girando
Cada vez mais veloz
A gente espera do mundo
E o mundo espera de nós
Um pouco mais de paciência...
Será que é tempo
Que lhe falta prá perceber?
Será que temos esse tempo
Prá perder?
E quem quer saber?
A vida é tão raraTão rara...
Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Mesmo quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não pára
A vida não pára não...
Será que é tempo
Que lhe falta prá perceber?
Será que temos esse tempo
Prá perder?
E quem quer saber?
A vida é tão raraTão rara...
Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não pára
A vida não pára não...
A vida não pára!...A vida é tão rara!...
Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
A vida não pára...
Enquanto o tempo
Acelera e pede pressa
Eu me recuso faço horaVou na valsa
A vida é tão rara...

sexta-feira, 12 de outubro de 2007

Criança



Em um mundo onde se encontra mortos que recebem beneficios do governo, "contas fantasmas" e muitas outras invenções das novas historinhas que alguns vêm criando há algum tempo, as crianças vem perdendo o seu espaço e os contos que sempre serviram para enriquecer seu conhecimento e aprendizado vem caindo no esquecimento cada vez mais dando assim espaço para novos criadores.
O problema maior que é que estamos vivendo uma era onde a humanidade está forçando a si mesma a crescer de todas as formas, tamanhos e maneiras e com isso todos são levados a crescer independente da idade e levados a acreditar em cada coisa que aparece!
Temos hoje uma grande massa humana de adultos totalmente infantis e em contra partida, uma tropinha do barulho que já nasce sabendo de muitas coisas e fazem mais do que imaginamos em bem menos tempo que pensamos.
Somos induzidos a acreditar que apenas algumas cabeças de gado podem gerar milhões em alguns dias apenas com o abate; acreditar que os impostos são realmente usados em nosso favor; crer que as CPIs são rerídicas, etc...
Enquanto isso somos obrigados a ouvir confissões tais como Papai Noel não existe, os ovinhos de chocolate não são dos coelhinhos da Páscoa, não fomos trazidos pela cegonha, etc...
Querem que eu cresça e quando estou grande tratam-me como um bebê !
Eu ainda prefiro acreditar nos contos dos livrinhos da tia da escola !!
Porque do mundo dos adultos já me despedi faz tempo !

Duvidou por que quis



O que aconteceu com este jovem britanico acontece com milhares de pessoas todos os dias. Pessoas que não desprezadas por sua aparencia fisica, sua dicção, sua cor, religião, etc.
É quase inevitável para todos. Basta um olhar e logo já se tem um diagnóstico da uma pessoa. Isto se chama julgamento visual, o que é totalmente reprovável e um nojo se quer saber.
Já duvidaram muito de mim tambem. Já me humilharam muitas vezes e em todas elas eu sabia que um dia estariam na platéia querendo ou não para me aplaudir mesmo que fosse por entre os dedos.
Nunca substime alguem e se o fizer, trate de preparar-se !

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Esteio



Eu vi seu choro, mas não pude fazer nada além de acalentar teu pranto; ouvir seu gemido; escutar sua dor lhe apertando sem que lhe desse chance de se defender !
Eu vi sua lágrima quando olhou nos meus olhos e disse que te odiavam; quando disse que ninguem te amava;
Eu ouvi atentamente sua lástima e servi de esteio para sustentar teu lamento mesmo sendo apenas por um momento; Eu lhe entendi claramente quando me disse que estava cansada e que parecia nada ter mais sentido em sua caminhada. Te entendi perfeitamente quando baixou a cabeça e pensou em sumir, não olhar para quem ficaria; Mas sabiamente te aconselhei a não olhar para o momento, e sim, para um horizonte cheio de suas realizações;
Seu choro cessou, e voce precisou sair...Foi quando o meu começou e não havia ninguem para me ouvir; apenas o silencio me acompanhava perturbando minha calma !!!
Eu, comigo mesmo, seria suficiente restando apenas um momento de reflexão !!
(olhe a mensagem nas entrelinhas)

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

13º

Enquanto a gente se distrai com estas CPIs o Congresso continua votando outros assuntos de nosso interesse e a gente nem percebe...vejam essa:
*Fim do 13º já foi aprovado na Câmara (PFL, PMDB, PPB, PPS, PSDB) Para conhecimento, O fim do 13º salário já foi aprovado na Câmara para alteração do art. 618 da CLT.
*Já foi aprovado na Câmara e encaminhado para o Senado.Provavelmente será votado após as eleições, é claro...
A maioria dos deputados federais que estão neste momento tentando aprovar no Senado o Fim do 13º salário, inclusive da Licença Maternidade e Férias (pagas em 10 vezes) são do PFL e PSDB.
As próprias mordomias e as vergonhosas ajudas de custo de todo tipo que recebem, eles não cortam.
Conheça a cara dos que votaram a favor deste Projeto em todo Brasil.
-
01- INOCÊNCIO OLIVEIRA-PFL
02- JOEL DE HOLLANDA - PFL
03 - JOSÉ MENDONÇA BEZERRA-PFL
04- OSVALDO COELHO - PFL
05- ARMANDO MONTEIRO-PMDB
06- SALATIEL CARVALHO-PMDB
07- PEDRO CORRÊA - PPB
08- RICARDO FIÚZA-PPB
09 -SEVERINO CAVALCANTE - PPB
10- CLEMENTINO COELHO - PPS
11- CARLOS BATATA-PSDB
12- JOÃO COLAÇO - PSDB
13- JOSÉ MÙCIO MONTEIRO-PSDB

*Agora, enquanto isso, eles distraem a gente com referendos ridículos! E, nas votações que realmente importam, não nos cabe participar? Cadê os caras pintadas? É hora de acordar antes que seja tarde.

NINGUÉM É TÃO FORTE QUANTO TODOS NÓS JUNTOS!

terça-feira, 9 de outubro de 2007

Apenas eu


Corro um sério
Risco de pensar
Integralmente em seu
Sorriso e amizade
Tento não ser
Impressionante porque
Nada mais é do que minha
Admiração por sua capacidade!
Só preciso rever a mim mesmo sem querer que o tempo pare ou eu tente me reinventar;
Só preciso continuar pensando que tudo não passa de um breve momento que está durando muito;
Só preciso de me concentrar no que realmente preciso para que quando chegar a hora eu não desista !!!
Só preciso de mim; só preciso, só !!!
:(

segunda-feira, 8 de outubro de 2007

For Me

Não me pergunte nada
Só me abraça.
Não ria de mim, apenas me dê seu ombro!
Chore comigo um momento se puder.
Se não puder
Não me pergunte nada
E se conseguir, mantenha silêncio.
Não quero falar, não quero ouvir;
Pelo menos no momento,
Se você tiver algo a dizer.
Não sou um coitadinho
Não tenha pena de mim
Deixa que eu mesmo me refaça
Já que procurei antes um lugar para repousar minha dor
E só encontrei rejeição
E isso parecia me tornar forte
E de certa forma me tornou
Mas hoje já é outro dia.
Ah, não me peça para levantar a cabeça.
Nem para olhar para frente
Não agora neste momento
Não enxugue minhas lágrimas
Deixe-me como quero.
Não acenda a luz
Não quero que me veja assim

É que...bom, imagine...

Esgotadas as forças
Não olhou pra trás
Apenas ouviu se um ruído de dor
Estando abatido lutando sem exercer força bruta
Sem correr de sua luta
Sem direção caindo ao chão
Voltou seu olhar para cima
Sendo agora comida de aves de rapina
Não prestando mais a qualquer serventia.
O pulso quase não pulsa
O ar lhe falta e os olhos escurecem
O ardor da fatiga lhe consume
E trouxe o resultado de um plano que ruiu
Desabando sobre seus sonhos
Matando seus desejos e anseios
Não tendo como estratégias seus meios
Que de simples virou tragédia.

sexta-feira, 5 de outubro de 2007

REFLEXÃO


Me enlouqueço quando me desconheço
Conheço-me quando me entrego
Entrego-me as vezes quando não tenho certeza
Me aborreço sempre
Quando vejo que pareço estar furando buraco n'água!
Quem vai entender isto?
Quem poderá suportar o dia da angustia
Onde a alma não encontra abrigo em ninguem?
Há alguem nos olhando e vendo como ficamos inquietos?

Poderíamos achar um apoio para reflexão
Ou alguem que pudesse fazer passar a expressão de dor
Oculta às vistas, porém corrosiva no íntimo?
Me entristeço quando não posso
Entrei sem saber onde eu pararia
Pensei em parar muitas vezes
Tentei, mas não consegui.
Hoje reflito sobre tudo e vejo que
O que me preocupa é saber que teria coragem
De fazer tudo de novo!!
Me irrito quando não devo
*Vou sem olhar a quem; errado!
Certo, mas perigoso!
Pensaríamos juntos em algo que aliviasse
O que desatina sem doer?
Copiaria alguem em suas decisões ou tentaria encontrar eu mesmo
Uma saída?
Traga-me um cientista
Pedirei a ele que desenvolva um antídoto
Que seja capaz de neutralizar o efeito
Da dependencia que sinto e evito
Me esforço na fraqueza pra que eu possa
Regozijar na minha força Reflito sobre mim E me encontro só, triste e impaciente por algo que me faz doente.(°-°)

Até quando poderei olhar para mim mesmo
E ver que tudo passa, se renova ou se acaba?
Mas comigo não passa, se renova e aumenta
A cada pensamento ou lembrança
Cobro de mim um preço que vale a pena
Por que tenho esperança
Que ficarei sarado
E a cada reflexão sobre mim
Vejo que apesar de calado
Introspectivamente me sinto cobrado,
Vitorioso e quase desesperado,
Mas com tudo em minha mente
Refletindo e vendo que tudo está controlado.

Mudança !! AHHHHHHHH



Vou correr muito para não ver o tempo passar
Sumir por um tempo para não ver o quero
Me abster do que desejo
Vou fazer o que ainda não fiz
Ver o que ainda não vi
Dizer o que ainda não disse
Gritar como nunca gritei
Chorar como nunca chorei
Viver como nunca vivi
Olhar como nunca olhei
Pensar como nunca pensei
Amar como nunca amei
Ser feliz como nunca fui
Sorrir como nunca sorri
Sonhar como nunca sonhei e acordar como nunca acordei
Valorizar o que nunca valorizei
Abraçar algumas coisas que desprezei
Nunca mais julgar como julguei
E falar o que nunca falei
Confessar o que jamais confessei
Parar como nunca parei
Refletir como nuca refleti
Comprar o que nunca comprei
Presentear a quem nunca presenteei
Abraçar a quem não abracei
Me esfoçar como não me esfoçei
E me levantar como nunca me levantei.
Vencer como nunca venci
E chegar onde sonhei e nunca cheguei.

Ventania


A brisa que começou tão suave
Tornou-se uma tempestade
De vento e areia forte
Impediu minha visão
Enterrou meu coração
Sufocou meu fôlego
Mas não tirou minha vida.

Sujou minha roupa,
Feriu meu peito
Quase não teve mais jeito
Rasgou minha carne
Deixou marcas profundas
Quase não saí do leito.

Derrubou minha casa,
Quebrou minha "asa"
Por um tempo me impedindo de "voar"
Mas sei que não é tarde para recomeçar
Vejo entulhos de uma alma despedaçada
Com a auto-estima arrancada
Semblante moribundo
Ufa! Um suspiro profundo!

Levando em conta a experiência
De uma vida intensa e divertida
Dá para dizer para minha alma
Que o vento passou,
A bonança chegou
E o tempo está mudando.
Hora de reconstruir tudo
Tempo de ficar mudo
Como remédio contra este tédio
Também me passarei de surdo
Para refazer meu mundo.

quarta-feira, 3 de outubro de 2007

DEUS



A minha voz ouve-se sobre as suas águas; Eu as faço trovejar; eu me assento sobre as muitas águas.

A minha voz é poderosa; é cheia de majestade.

A minha voz quebra os cedros; sim, o SENHOR quebra os cedros do Líbano.

Eu os faço saltar como um bezerro; ao Líbano e Siriom, como filhotes de bois selvagens.

A minha voz do separa as labaredas do fogo.

A minha voz faz tremer o deserto; Eu faço tremer o deserto de Cades.

A minha voz faz parir as cervas, e descobre as brenhas; e no seu templo cada um fala da sua glória.

Eu me assento sobre o dilúvio; Eu me assento como Rei, perpetuamente.

Eu darei força ao meu povo; Eu os abençoarei com paz.


Pena que o homem naõ reconhece quem Sou.
Só me buscam na hora da dificuldade.
Querem que eu faça tudo sendo que eles podem fazer muito do que me pedem.
Adoecem por não me obedecerem;
Morrem por não me ouvirem;
se perdem por não me reconhecerem.
Estou tão perto e dizem que não existo;
Faço o impossivel, mas seus corações estão cheios de incredulidade.
Já fiz a maior demonstração de amor que poderia ser feita em toda a história, dentro da fagulha do meu poder, chamada tempo.

Pela minha Onisciência sei de tudo antes que aconteça. Pela minha Onipotência posso qualquer coisa, pois por minha palavra tudo se fez; tudo foi criado. Pela minha Onipresença estou em todos os lugares.

E sabe o que é pior do que não estar em um lugar?
É estar presente e não ser notado.

Deus, eu acredito em você. Estaremos sempre juntos. Um abraço Senhor.

terça-feira, 2 de outubro de 2007

A DOR


Dor .°_°.

Sufocante, latente, mortal, invisível, cruel, indescritível, involuntária, temporária, ordinária, algoz, carranca, maléfica, venenífera, perigosa, desatinada, sem piedade, corrosiva, erosiva, assassina, sarcástica, feroz, furiosa, nervosa, malvada, estúpida, implacável, carnífice, danosa, lesiva, perniciosa, sádica, destemperada, exagerada, ameaçadora, arrogante, insolente, dissimulada, neurótica, abusiva, abusada, doentia, paranóica, retardada, louca, miserável, doida, perturbadora, prejudicial, ruinosa, agravante, inexorável, espantosa, maníaca, pirada, alucinada, covarde, intolerante.

Que causa
Solidão, amargura, desatino, remorso, saudade, mau humor, insanidade, falta de apetite, depressão, fantasias, raivas, vinganças, ódio, rancor, desalento, dano, sofrimento, angustia, mortalidade, dependência, desespero, aflição, agonia, desgosto, lástima, pesar, luto, desesperança, delírio, alucinação, psicose, alienação, demência, morte.

Rouba
A quietude, a felicidade, os sonhos, o amor próprio, a calma, o bom senso, a esperança, as forças, o juízo, o ânimo, a elegância, a alegria, a bonança, o sossego, o gosto, a mente, o coração, a coragem, a visão, a paciência, ponderação, prudência, sabedoria, liberdade, cautela, vigilância, o discernimento, probabilidade, perspectiva, a astúcia, a esperteza, o fôlego, o ar, o convívio, a serenidade, a Paz.

Melhor parar antes que doa mais. Não vejo mais nada; só a dor. Não sinto mais nada; só a dor. Não quero mais nada; nem a dor.

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Warrior is a Child

Lately I've been winning battles left and right
But even winners can get wounded in the fight
People say that I'm amazing
Strong beyond my years
But they don't see inside of meI'm hiding all the tears

They don't know that I go running home when I fall down
They don't know who picks me up when no one is around
I drop my sword and cry for just a while
'Cause deep inside this armour
The warrior is a child

Unafraid because his armour is the best
But even soldiers need a quiet place to rest
People say that I'm amazing
Never face retreat
But they don't see the enemies
That lay me at His feet

I drop my sword and look up for His smile
Because deep inside this armour
Deep inside this armour
Deep inside this armour
The Warrior is a Child

Quem sou?

Apenas um sorriso que chora
Uma voz que não se ouve,
Uma dor que não se sente
Uma flecha sem arco,
Uma paradoxo na manhã de uma noite!
Uma tempestade sem vento,
Um deserto habitado por ninguem.
Um silencio gritante,
Uma água sem fonte;
Uma interrogação na resposta e
Quem sabe um adulto infantil.
A pressa lenta de uma urgência ignorada.
Um pássaro sem asas, no chão
Um risco alto e iminente!
Um enigma indecifrável em meio à cultos.
O momento que separa o dia da noite.
A fração de segundo que define um milagre.
A lágrima que teima em sair
O rosto que naõ quer se mostrar
O nada, o tudo, o sem importancia que grita
Por nada, por ser o que sobra
O que sem motivo se apavora
O solitário que cultiva o monólogo
O único que se entende
Que se confessa,
Que se oferece como ajuda
O icógnito de uma mente brilhante
O louco, doido talvez!
Não medíocre nem hipícrita!
A insanidade de uma mente sóbria
A explicação complexa que naõ se entende
Que naõ se doa a sabedoria de "burros" inteligentes.
Uma solidão em meio a tanta gente
Um desespero cercado de improváveis soluções.
Um rascunho ilegível
O papel que se amassa
A caneta que acabou a tinta
A bola que furou na hora do jogo
Aquele que todos chamam de bobo
A estrela que explodiu
A luz que se apagou
O medo disfarçado de coragem
A realidade de uma miragem
Uma onda que se forma e se quebra
Vencida por minusculos grãos de areia
Que quando se unem se tornam quase invencíveis
A lembrança perdida
Os olhos que fecharam
As mãos que não se mexem mais
O primeiro que se tornou o ultimo
A alegria de um sonho
Que acabou ao acordar.
O ruído surdo
De um silencio ovacionado.
O pneu que furou
O carro enguiçado
Que de tanto quebrar
Deu perda total.

sexta-feira, 28 de setembro de 2007

ETERNA

Quando você se foi me impediram de chorar
Disseram que eu era bobo
Que isso não precisava mais
Impediram-me de ficar lembrando
Mas não conseguiram me impedir de sofrer
Tentaram tirar até as lembranças que de você eu tinha
Em vão me tentaram
Envergonharam-me em meio à dor que sentia
Sua imagem sempre vinha em minha mente
De seu sorriso quase nunca mostrado
Olhar atraente
E simplicidade exuberante.
Quando chorei disseram que eu era fraco,
Mas do lugar onde você saiu
Só eu sei o tamanho do espaço
Não sobrou para mim nem mesmo um retrato
Ficou a imagem de um rosto abstrato
Tipo o vento, sabe! Você está sentindo, mas não vê.
Não me avisaram quando você partiu
Você não se despediu, na verdade não deu tempo!
Lembro-me
Dei-te uma rosa que colhi na beira da estrada
E você me disse rindo se não havia uma maior
No que repliquei meu gesto estando na flor
Não em seu tamanho.
Não pude nem mesmo me despedir de você
Ocultaram de mim seu rompimento
Com esta dimensão humana.
Não pude lhe dar uma rosa maior
Talvez seja melhor assim.
Mas como dizia Renato Russo:
“A vida continua e se entregar é uma bobagem
E já que você não está aqui
O que posso fazer é cuidar de mim”.
Fica comigo sua imagem
De uma única e verdadeira e eterna
Menina dos sonhos!
Não vou revelar seu nome porque quero preservar-te
Em meu coração para sempre.
Eterna, meu eterno adeus!!

amigo?

Eu realmente não sei o que colocar aqui...praticamente não sobrou ninguem..ouvi dizer que é na alegria que se faz um amigo, mas é na angustia que se faz um irmão...sabe, humanamente naõ tive nunhum nem outro..um amigo apenas que eu quase naõ via...é muita coisa que acontece e envolve agente em um emaranhado de situações que as vezes apavoram, outras vezes fortalecem, outras aborrecem, outras nos destroem e outras nos deixam estranhos..
olhamos para um lado e outro e nao vemos ninguem..tentamos alguma coisa diferente e acabamos mais uma vez em uma situação inusitada.
as vezes queria dizer isso pra quem está perto, mas deixa pra lá...
melhor evitar...
ah, quer saber, xa pra lá !!
vou ficar comigo mesmo e depois disso o silencio.

quinta-feira, 27 de setembro de 2007

As aves

Pra Onde Vão as Aves
Frente ao mar no crepúsculo
Eu pude contemplar
Um bando de aves marinhas
No último revoar
Iam encontrar o horizonte
Sem nem se preocupar
Se quando a noite chegasse
Teriam onde pousar
Meu rumo também era assim
Não ter para onde ir
Não ter certeza de voltar
Não saber se tinha onde chegar
Eu queria ir com as aves
E saber onde elas vão chegar
Foi assim pensando que ali eu adormeci
Sonhei que existia uma ilha
E o mistério conheci
Quando acordei vi o Sol que nascia
E logo avistei
Que as aves marinhas voltavam
Cantando mais uma vez
Meu rumo então eu achei
Jesus Cristo eu encontrei
Ele é a ilha onde eu vou chegar
E se a noite em trevas me deixar
Vou continuar voando
Ele é a ilha onde eu vou chegar .

(Musica de Sergio Lopes)

Tuneis

TUNEIS
Tudo escuro, mas há previsão de luz.
Há pecado, mas também há uma cruz!
Um julgamento, uma punição;
Um perdão, absolvição!
Um critica outro zomba
Alguns riem outros choram.
Nada que o tempo não possa cuidar
Tropeços e mancadas
Recuperações esperadas e desenvolvidas
Com a expectativa de uma nova aliança.
Vejo luz, vejo cruz, vejo eu e ninguém!
Olho para cima e vejo alguém superior
Capaz de abrandar a dor
Olho ao lado e há alguém desesperado
No escuro, sem rumo e com pecado;
Sem luz e uma cruz
Para que ter amigo
Se quando precisa dele se mostra pior que inimigo?
Até quando poderei resistir
A este lado sombrio de túneis temporários?
Tempos estes que vejo
Pessoas revelando quem são sem querer revelar
Acusando seu próximo para vê-lo cair
Quanto a mim não vou desistir
O fim do túnel não está longe
Sei que dele vou sair!

terça-feira, 25 de setembro de 2007

O tempo

Sempre parava para olhar o céu
Via as nuvens que passavam rapidamente
Em frente a lua, eu ficava totalmente atraído.
Eu não imaginava que fossem as nuvens que se movessem
Fixando os olhos firmemente em sua beleza
Percebia que estática permanecia
Sem mesmo brilhar mais ou menos intenso
Eu ficava horas observando sua claridade
Que de quando em quando se ofuscava
Por causa da densa obscuridade noturna
Que o vento comandava empurrando sem parar.

Os anos passaram, as nuvens foram e voltaram.
Só eu envelheci e percebi que minha história
É parecida com uma noite de lua cheia.
Que emite uma luz facilmente vista a olho nu
E pessoas que me observam
Vêem nuvens escuras passando em frente
Tentando camuflar a intensidade
E acreditam que sou eu quem moveu de lugar.
Mas quando observarem bem,
Verão que permaneço firme no mesmo lugar
Com a mesma intensidade
E os ventos que sopram as nuvens
Sempre dissiparão os negrumes frente a mim
Mesmo que por pouco fique enegrecida minha luz
Haverá nem que seja uma pequena brisa em meu favor
Que impelirá estes pormenores
Que não me impedirão de brilhar.



segunda-feira, 24 de setembro de 2007

El principito

O principezinho bocejou. Lamentava o pôr-do-sol que perdera. E depois, já estava se aborrecendo um pouco! - Não tenho mais nada que fazer aqui, disse ao rei. Vou prosseguir minha viagem. - Não partas, respondeu o rei, que estava orgulhoso de ter um súdito. Não partas: eu te faço ministro! - Ministro de quê? - Da... da justiça! - Mas não há ninguém a julgar! - Quem sabe? disse o rei. Ainda não dei a volta no meu reino. Estou muito velho, não tenho lugar para carruagem, e andar cansa-me muito. - Oh! Mas eu já vi, disse o príncipe que se inclinou para dar ainda uma olhadela do outro lado do planeta. Não consigo ver ninguém... - Tu julgarás a ti mesmo, respondeu-lhe o rei. É o mais difícil. É bem mais difícil julgar a si mesmo que julgar os outros. Se consegues julgar-te bem, eis um verdadeiro sábio. - Mas eu posso julgar-me a mim próprio em qualquer lugar, replicou o principezinho. Não preciso, para isso, ficar morando aqui...

O que tem de gente por ai se achando rei e tentando dar ordens não está no gibi. E o pior é achar que todos que estão a sua volta são suditos de seu reino imaginário.
Ludibriam pessoas com palavras tentadoras que lhes fazem titubear em seu caminho pré-determinado, mas acabam não tendo o tal reino para mostrar, porque na verdade é uma utopia.
A realidade expressa em um proverbio antigo é que na terra de banguelo quem tem um dente é rei. E em tempos atuais, há pessoas vivendo em um mundinho fechado, limitado, procurando inocentes para impor suas ordens "reais" e se darão conta de sua fantasia quando a realidade for estampada na ausência de pessoas em seu planetinha mediocre.
Eiii, que é rei nunca perde a majestade !

Mente itnerária

Mente itinerária, melancólica.
Flutuante sobre tábuas imaginárias em um rio de amargura
Que desemboca em um oceano farto de dissabores,
De horrores e águas de falsidades que lhe afluem.
Quase vou a pique no meio dessa maldade.
Vejo ondas grandes vindo ao meu encontro
Tentando sucumbir o apoio que ainda me resta
Trazendo consigo sujeiras acumuladas
Em espumas de desventuras ordinárias;
Ventos em forma de palavras insanas
Que tentam me levar para alto mar
Para ver-me naufragar em suas infâmias.


Vileza estampada em forma de inocência
Em um rosto delicado
Que agora vejo em forma de decadência.
Demência sua pensar que podia levar meu pensamento
Em direção ao seu tormento
Que agora vives por intentar contra mim o mau,
Tornando contra ti mesmo o caos.
Mente que agora entende a falha
Que se tornou para ti uma navalha
Que corta sem piedade
Eliminando sua falsidade.
Quanto à mente não submergirá
Nestas águas enganosas, maldosas!
Navegará em segurança onde precisar chegar
Sem ter se preocupar com suas intempéries
Ou suas séries de ataques de um negro mar!

sábado, 22 de setembro de 2007

Noite fria

Mais uma vez falhei comigo mesmo.
Eu havia prometido que esqueceria
Mas ainda me lembro do rio
Da noite e do frio
Dos pés que balançavam e tocavam a água
Da escuridão que lembrava mágoa
A lua enegrecida que teimava em não brilhar
E um vento gélido balançando os galhos dos arbustos,
Continuamente.
E mais uma vez falhei comigo mesmo
Fiquei olhando as estrelas que me ludibriavam
Fazendo-me pensar que elas piscavam
Que nada! E eu só de boa!
Mas eu havia prometido que não me importaria com isso.
A noite me atraía e parecia-me que sua voz ouvia
Então fui pro mesmo lugar e me assentando arrazoava
Ria sozinho e minha mente não parava.
Então vejo que falhei comigo mesmo
Não fui forte o bastante para não lembrar
Eu esperava tal voz aproximar
Que nada! E eu só de boa!
Chutei a água, ignorei a mágoa,
E as horas voaram e não me dei conta que estava só
Nos olhos não havia lágrimas
Mas na garganta um nó.
O sono sumiu, a solidão me aqueceu;
E meu coração prometeu
Que não me machucaria de novo.
Então prometi para mim mesmo que esqueceria
Disse que não ligaria para nada disso.
Peguei-me pensando em tudo de novo
E percebi que falhei comigo mesmo
E prometi que não mais prometeria
Que nada! E eu só de boa!