quarta-feira, 19 de setembro de 2007

DOR INOCENTE


Solidão que mata aos poucos.
Desespero que atinge alguns que permeiam lugares obscuros.
Mentes que são incompreendidas,
Insanidade que não é absurdo.

Desespero que leva um pai a abandonar a filha no meio da viagem, parecendo uma loucura aos que vêem a cena;
Coração que não cabe no peito com tamanha atitude irracional, porém relativa.

Quem decifraria a dor desta alma que em nada encontra uma calma?
Que morre aos poucos e parece louca por não ter alento em nada que seja possível.
Apenas a dor incompreendida, vivida e sentida apenas por aquele que tal atitude tomara.

Eu não te condeno oh "tal" pai que abandonaste tua filha em um terminal desconhecido e habitado por transeuntes ligeiros.

Sabe menina, eu senti seu choro quando te vi pelas imagens das câmeras do circuito interno daquele terminal; eu chorei quando você olhou para o lado e já não viu mais o seu pai. Meus olhos umedeceram quando vi suas mãozinhas esfregando os olhos, tentando limpar as lágrimas que insistiam em sair.
Sabe menina, eu fiquei imaginando o que teu pai te disse quando te deixou. Será que foi isto: "filha, papai já volta. Não saia daqui, tá?"

Me diga menina, qual foi a mensagem que você viu nos olhos do teu guardião quando te olhou pela, quem sabe, última vez?

Ah Qian Xun Xue, não o condene nem o despreze!
Sabe menina, eu também vi pelas mesmas câmeras teu pai saindo pela porta frontal e indo embora puxando uma mala de viagem. O que será que passava naquela mente e no coração daquele pobre homem?

Eu não pude ver as lágrimas externas, mas pude sentir a dor da sua alma e me perguntei:quem em sua sã consciência tomaria tal decisão?
Então percebi Qian, uma mão se estendendo até você, e seus olhinhos ternos, assustados, sem compreender o que estava acontecendo, ainda esperando o papai de um "volta já" que superava horas, mas não acalentavam nem substituíam as mãos que sempre a conduziu.
Sabe menina, nenhuma mão a ti estendida substituirá aquelas que te deixou, mas também nenhuma outra filha substituirá o lugar que de ti ficou.

Sabe Qian, eu vi sua bolsinha feita mochila em suas costas tão pequenas, e imaginei o que havia dentro dela. Isto, talvez eu nunca saberei, mas tenho certeza que uma coisa foi adicionado no interior desta bolsa: a esperança de encontrar sua família outra vez.

Nenhum comentário: