quinta-feira, 6 de setembro de 2007

Liberdade

Seria fácil explicar ou dissertar sobre liberdade se cada um fosse realmente livre. Ser livre é relativo. Isto é um paradoxo. O desejo de liberdade é um sentimento profundamente arraigado no ser humano. Situações como: a escolha da profissão, o casamento e o compromisso político ou religioso, fazem o homem enfrentar a si mesmo e exigem dele uma decisão responsável quanto a seu próprio futuro.
A capacidade de raciocinar e de valorizar de forma inteligente o mundo que o rodeia, é o que confere ao homem o sentido da liberdade entendida como plena expressão da vontade humana. Mas a liberdade confunde nossas escolhas.
Do ponto de vista legal, o indivíduo é livre quando a sociedade não lhe impõe nenhum limite injusto, desnecessário ou absurdo. Uma sociedade livre dá condições para que seus membros desfrutem, igualmente, da mesma liberdade.( sonho de todo mundo né?).
Teorias filosóficas e políticas, de todos os tempos, tentaram definir liberdade quanto a determinações de tipo biológico, psicológico, econômico, social etc. As concepções sobre essas determinações, nas diversas culturas e épocas históricas, tornam difícil definir com precisão a idéia de liberdade de uma forma generalizada.
O homem é escravo da liberdade. Ser livre torna o homem um presidiário;Um ser louco para fazer o que bem quer. Quando chegamos a este estágio, já estamos cronicamente precisando rever alguns conceitos, o que não quero fazer, porque isso realemente me dá tédio.

sempre penso nisso.

A liberdade me cativou e agora que eu poderia levantar meu vôo, ela me aprisionou. Aprisionou-me dentro de mim sem ter compaixão. Penso na liberdade o tempo todo. Queria que meu vôo fosse mais alto. Gostaria que a musica não acabasse. Tentaria sentir aquele arrepio de novo e, depois de novo.

Por me senti tão livre, me senti um pássaro. Fiz amizade comigo mesmo e veja no que deu:

PÁSSARO FERIDO

Temos um pássaro ferido

Com ele um vôo interrompido

Levará um tempo até se curar

Enquanto isto, ficam as lembranças

De como voava para seu abrigo preferido

De como planava sustentado pelo vento

Gozando da liberdade outrora desfrutada

Depois do ferimento

Parece que até o vento parou de soprar

O canto não tem o mesmo valor

Nem é tão afinado como antes

Ao invés de agradável

Parece insuportável

Lugar de pássaro não é no chão

Pássaro ferido

Em breve levantarás teu vôo novamente

Serás rápido e brilhante

E quando estiveres nas alturas

E te sentires livre de novo

Lembra-te de mim

Que preciso de ventos

Que soprem a meu favor

Que me levem a desnudar lugares inacessíveis ao homem

Ventos que me proporcionem vôos rasantes

Mas que me ergam onde apenas os olhos alcancem

Pássaro feridoAntes de levantares teu vôo

Ensine-me voar como tu

Que eu seja tão rápido que predadores não me peguem

Que eu voe tão alto e veja mais longeEnsine como pousar em segurança

Porque voarei mesmo sem asas

Para algum lugar onde haja esperança.

Quero voar ainda mais alto. Te levarei para voar comigo se quiseres e não te deixarei sentir tão livre a ponto de sair da patente dos meus olhos.

Voe, voe, voe !!!!!!!

Nenhum comentário: