sexta-feira, 5 de outubro de 2007

Ventania


A brisa que começou tão suave
Tornou-se uma tempestade
De vento e areia forte
Impediu minha visão
Enterrou meu coração
Sufocou meu fôlego
Mas não tirou minha vida.

Sujou minha roupa,
Feriu meu peito
Quase não teve mais jeito
Rasgou minha carne
Deixou marcas profundas
Quase não saí do leito.

Derrubou minha casa,
Quebrou minha "asa"
Por um tempo me impedindo de "voar"
Mas sei que não é tarde para recomeçar
Vejo entulhos de uma alma despedaçada
Com a auto-estima arrancada
Semblante moribundo
Ufa! Um suspiro profundo!

Levando em conta a experiência
De uma vida intensa e divertida
Dá para dizer para minha alma
Que o vento passou,
A bonança chegou
E o tempo está mudando.
Hora de reconstruir tudo
Tempo de ficar mudo
Como remédio contra este tédio
Também me passarei de surdo
Para refazer meu mundo.

Nenhum comentário: