quinta-feira, 29 de maio de 2008

É como se fosse !!!


é como se fosse um vôo bem alto
é como se sentisse um vento mais forte
é como se pudesse voar mesmo sem asas
é como se flutuasse nas nuvens
é a sensação de vontade correr
chorar e gritar ao mesmo tempo
um sentimento que naõ se define
é algo alem do esperado
nunca antes pensado
nem sentido
mas, almejado !!
o sentimento de sentir Deus !!!

sexta-feira, 23 de maio de 2008

Sonho

Sabe aqueles sonhos que parecem não fazer sentido? Pois é o meu foi o seguinte:
Sonhei que estava atravessando uma ponte. Havia um rio estranho. Do lado de cima do rio estava super cheio; quase transbordando. Do lado de baixo o rio estava com o fluxo normal. atravessei meio com medo, mas atravessei. A ponte não me passava muita segurança; daí o motivo de eu atravessar tão rápido.
Quando cheguei do outro lado, olhei de repente para trás e percebi um barulho forte de água. Olhei para a ponte que já estava ficando para trás e percebi que o rio havia voltado a estar normal tanto do lado de cima quanto o de baixo. Não me contentei com aquele estranho acontecimento e resolvi olhar debaixo da ponte. Percebi então que alguem havia feito uma barragem debaixo da ponte, mas a força da água derrubou aquela pequena contensão. Então percebi que as contensões naõ podem interromper o fluxo do rio. Os medos que as contensões provocam são passageiros e logo já não existirão mais.
A vida continuará normalmente assim como o fluxo daquele rio. Por mais que tentem interromper não conseguirão, por que a vida e os rios não foram criados para serem contidos.

Rico

quarta-feira, 21 de maio de 2008

Som

Ruído...
Som sufocado; parece alguem amordaçado!
Acho que vou ver... Mas não quero crer.

Barulho...
Parece um pedido de socorro;
Mas está longe dos ouvidos do público.
Quem se importa se é tão tímido?

Está mais alto...
Mas ainda ninguém vê os seus atos.
Talvez não valha tanto assim como se pensa !
É o vento que faz do pouco um aumento.
Que seja uma questão de tempo !

Sussurro...
Parece alguém no escuro
Que tropeça em tudo
E gera um ruído mudo
Quebrando o silêncio e se arriscando
Sem mesmo ter seu próprio escudo.

Grito...
Parece aflito,
Mas está tão fraco que penso não ser tão urgente;
Porém me parece doente.
É um som longe; que não me constrange.
....

quinta-feira, 15 de maio de 2008

SE PUDER



Cante minha musica
Recite meu poema preferido
Sinta minha dor
Ame com o mesmo amor
.
Fale o que preciso ouvir
Chore a lágrima que eu ainda seguro
Durma meu sono
Descanse meu cansaço
.
Segure-me em seus braços
Fortaleça-me o ânimo
Corra minha maratona
Vença por mim a batalha
dirija para mim o meu carro
alimente meu corpo desidratado
sorria meu sorriso
contenha meu pranto
com sua voz libere meu canto.
Seja feliz com minha sorte
Mas não morra seja qual for a morte !!*

Real ou ilusório - continuação

ilusão? alucinação? invenção? ou a conclusão de uma miragem nas entrelinhas onde apenas duas mentes conseguem encontrar respostas neste quadro que quase ninguem mais entende?
Seria duvidar muito se tudo o que passou nesta ultima noite fosse a realidade?
Um corpo que parece só em meio à multidões que se apertam, se espremem e se atropelam; se esguelam por um farelo de pão; que come comida achada no chão; que se ergue e tomba por naõ ter um por perto que se iguale a um irmão. Tudo não passa de uma realidade paradoxal onde vemos o que queremos e escolhemos o que os outros querem. Nos lamentamos por não termos tido mais coragem; mais racionalidade; mais amor!!!
Mente que sofre,
se esgueira por entre as gentes,
se pune por ser tão carente;
Se mantém em seu próprio casulo chamado crânio
Onde está vulnerável a influencias de anjos ou demonios;
Mente que vê e naõ entende;
Que toma seu braço e o estende;
Que mira o horizonte tentando desbravá-lo
como se tivesse super poderes para atravessá-lo em pouco mais um instante
Mente que queria um ouvinte
Que lhe trouxesse respostas a tantas perguntas
Que lhe acalmasse em seus desalentos em descontentamentos
Cheios de gemidos nas noites frias
Onde ninguem vê nem se constrange em ajudá-la.
O corpo que a carrega, quase se entrega
Por sofrer as consequencias desta mente
Que de tanto sofrer está meio doente;
Não se retrai mesmo frente à delinquentes;
Se garante, mas não poupa o corpo do sofriemento
Em suas viagens aos lugares obscuros quase inexistentes
Que só existe dentro de si propria.
Ahhh como este mente gostaria de superar seus proprios medos
desnudar seus proprios segredos
Ter amigos como antes
Ser aparentemente querida por aqueles que a cercavam
lhe sorriam sem esforço; até hoje não se entende porque cessou o movimentos dos rostos !!
MEnte que ninguem entende
Que pretente nunca ser dona de si mesma !!
Mente que ama
que quase odeia
que ainda possui um fogo que a incendeia
mente...
ainda que vi