sexta-feira, 10 de julho de 2009

Por Vezes

E por vezes as noites duram meses
E por vezes os meses oceanos
E por vezes os braços que apertamos
Nunca mais são os mesmos
.
E por vezes encontramos de nós em poucos meses
O que a noite nos fez em muitos anos
E por vezes fingimos que lembramos
E por vezes lembramos que por vezes
.
Ao tomarmos o gosto aos oceanos
Só o sarro das noites não dos meses
Lá no fundo dos copos encontramos
.
E por vezes sorrimos ou choramos
E por vezes por vezes ah por vezes
Num segundo se envolam tantos anos
_
David Mourão-Ferreira

terça-feira, 7 de julho de 2009

Replay de DESABAFO

Eu estava distraído
Pensamento vagando longe
Quando em minha mente despertou uma lembrança
De quando eu era criança
Queria crescer e ser independente
Fazer o que bem quisesse
Não prestar contas de onde fui ou estava
Como eu sonhava!
Era apenas uma criança
Que não conhecia a dura realidade de um adulto
Onde é mais difícil viver
Trabalhar pra comer
Correndo risco de a qualquer hora morrer
Não imaginava eu
Que no mundo de adulto eu teria que ser mais que uma criança
Dizer sim onde eu estava e onde fui
Eu era cuidado e agora cuido
Eu comia sem pagar agora pago pra comer
Eu mentia onde estava e onde havia ido
Hoje sou cobrado mais que uma criança o que fiz
Lembrança esta que me trouxe á memória
De quando eu atirava pedras contra os passarinhos
Fazia pelotas de barro pra lançar com estilingue
Tomava banho de rio escondido
E geralmente apanhava por ser perigoso
Hoje não há rio para banhar-me
Os pássaros tiveram que ceder seu espaço para os postes
Onde os ninhos eram entre os galhos
Hoje são entre os fios
Não procuro matar pássaros mais
Fujo para não ser atingido como eu os atingia
Voltar no tempo agora era o que eu queria
Tomar banho no riacho outra vez
Mesmo que me custasse uma surra
Mas saber que o canto das aves eu ouviria
Minhas roupas lavadas e secas
Bem passadas e carinhosamente postas sobre a cama
Ouvindo uma doce voz dizendo que me ama
Conferindo minhas orelhas se estavam limpas
Colocando minha comida em um prato
Á noite me ponto pra dormir depois de voltar do campinho
Onde a garotada se divertia
Meus ferimentos sendo cuidados por minha doce mãe
No mundo dos adultos ninguém quer saber se você tomou banho direito
Se seu ferimento está sendo tratado
Quando agente precisa de ajuda
Dizem que não somos homens e sim meninos mimados
Volte este tempo onde uma palmada doía menos
Que uma palavra que fere sem tratamento
Volte o tempo em que o amor era puro
E o sorriso da menina na escola
Fazia-me desejar o futuro. Volte o tempo Volte...
Despertei!!!!!
.

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Sad

Hoje amanheci triste...ainda não sei bem porque!
Hoje, penso mais no ontem que no amanhã
Acho que é porque, quem sabe eu poderia ter feito diferente..
Me arrepender? claro que não...tudo que passamos ontem nos ajuda hoje,
E sem dúvidas que, aquilo que passarmos hoje nos ajudará amanhã...
Tudo parece bem chichê, e de fato é.
.
Me deixa, me esqueça...
Por favor, não me esqueça!
Me ampare e deixa-me encostar em teu peito e chorar
Não me deixe chorar muito, não quero parecer bobo.
Você poderia me abraçar forte? me aperte e me esprema ao máximo de sua força
Faça meus ossos estalarem, faça me perder o fôlego,
deixe-me sem ter como respirar...
.
Deixe-me abrir para ti, mas não me deixe dizer coisas lindas e elaboradas
Deixe-me apenas dizer aquilo que aperta meu peito
Se eu chorar, deixe...
Deixe-me soluçar de tanto chorar,
E me acolha sem me julgar
.
Deixe-me repetir as mesmas coisas
E se a repetição te aborrecer, não demonstre pra mim..
demonstre sim, não use de falsidade para comigo...
A repetição não quer dizer que acabaram-se as palavras,
É um sinal que aquele ponto onde elas aparecem, de fato são mais fortes
Pode ser que ali está a nascente das águas que sustentam as lágrimas...
.
Deixe-me chorar,
não entulhe a fonte das minhas lágrimas...
Não tente poluí-las, pois são totalmente puras
Não permita que sejam maculadas...
Não as enxugue, permita que rolem até caírem da minha face
E ao cair no chão, deixe que sequem sem ajuda
Pois enquanto eu puder vê-las, estarão me fazendo lembrar que
Aquela lágrima já cumpriu seu papel.
...

Rico