sábado, 21 de dezembro de 2013

Ainda Você

Você tem as cores que inspiram a pintura perfeita.
Você é a paisagem que eu gostaria de ver todos os dias
Eu seria o vento que te assopra
A chuva que te molha
O sol que te aquece
O chão que te sustenta
A nuvem que te cobre
A foto que te eterniza
A pintura que te merece.

Água de Ti

Se você fosse um rio, eu nadaria em ti todos os dias
Mergulharia sem medo de perder-me em tuas águas
Me banharia pela manhã e levaria um pouco de ti
Para beber durante o dia
Até que o entardecer me proporcionasse outro banho.

Colocaria uma placa de "Proibido Pescar"
E acrescentaria em baixo "Proibido Banhar"
Para que você fosse somente minha
E jamais deixaria as suas águas sujarem.

Minha sede é tamanha
Que beberia por horas,
Por dias e pra sempre.

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

As Palavras

Como sufoquei palavras este ano!
Como me sobraram fragmentos
De sentimentos
Que adoraria falar que amo.

Como me arrisquei com as sílabas que escaparam
Ameacei várias vezes publicar tanta coisa.
Restou quase que nada, visto que guardei tanto de uma
Improvável confissão que forçou-me a consentir calado,
Mudo e insatisfeito, por não ter mais peito que
Bata no ritmo certo
Ou que me dê a chance de chegar pelo menos perto.

Poupei-me muito pouco
Ri feito louco
E escondi o que estava dentro
Guardado a sete chaves
O grande grito de espanto de um apaixonado.

E Foram os Dias

Bem, mal percebi que o ano havia começado
E logo vi que o novo já virou passado...como eu gostaria de ter feito uma coisa!
Aliás, expectativa que perdurou o ano inteiro, o tempo todo
Termina com o ciclo que se finda, mas
Logo recomeça com o próximo calendário.
E todo o tempo será novamente de espera, de expectativas;
Só posso imaginar que a vida será mais linda.

Isto pode até ser um presságio em algumas linhas.
Na minha escrivaninha um longo texto se arrasta, como sempre
Minhas vontades e desejos se manifestam e são sufocados...mas não morrem
Yalu! eu poderia exclamar como transliteração da minha realidade;
Lutaria contra minha insanidade que me torna ridículo
Indo e vindo nos dias que ocupam o mesmo ciclo...e fujo de mim mesmo
Feito "rabo" que teima em fugir da mordida
E sentindo que vai ser diferente as novas oportunidades da vida.

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

RODOVIÁRIA


Lugar de chegada e partida, adeus e despedidas, abraços apertados, choros desconsolados; lágrimas que valem ouro que caem sem que sejam percebidas.
Local de espera, de demora, da hora que não passa, mas que passou tão de pressa que por essa não esperava.
Idas e vindas pronunciadas por uma voz suave quase sussurra nos alto-falantes, que só falta te chamar pelo nome e geralmente não se sabe se quer que você vá ou se é charme para que fique.
Local de destinos diferentes, mas comum para a gente.
Destinos que ás vezes lembra muito um labirinto onde alguém entra e nunca mais retorna, como se tivesse perdido o caminho de volta.

Rodoviária não é lugar para fracos; é lugar de lamento e alegria,
Sorrisos e nostalgia; seja noite ou dia, mudam-se as pessoas, mas a cena continua: busca se o sagrado para proteger na viagem e o aceno da janela vale mais que mil palavras, mas esconde o coração que tem uma seqüela.
Os que ficaram em pouco ou nada diferem dos que partiram.
Sua hora também vai chegar e naquele local de espera, de demora, da hora que não passava, passou tão de pressa que por essa não esperava.
Alguns que ficam querem ir junto; Outros que vão desejam ficar.
No pensamento de uns que ficam ou vão,
Está o agradecimento por aquele momento que chegou
Que se resume daquilo em que se livrou.

Mas pensando bem,
Existem pessoas que jamais deveriam estar em uma rodoviária para despedida, mas sim, somente para chegada.
Você não pensa no tempo que vai durar,
Mas pensa em como aproveitá-lo de todas as formas...
Pensa em tanta coisa que o primeiro dia se passa,
A ainda nem saíram do lugar.
Mas assim como o tempo não pára,
O anoitecer e o amanhecer são esperados
Trazendo uma nova oportunidade de viver coisas diferentes,
A ausência também chegará, e quando acontecer
Restará a lembrança de que neste caso não há labirinto e se há,
 O aceno da janela não será nada mais nada menos

Que a ponta da corda!

▲▲▲Rico ▲▲▲

sábado, 26 de outubro de 2013

Você

Você ainda é
O espaço à ser desvendado;
O planeta a ser descoberto;
A vida inteligente nos "discos voadores"
Você é a imagem que a foto capta,
Mas rapidamente muda de dimensão.

Você é a galáxia que comporta bilhões de possibilidades
É a 'super nova' que expande seu brilho.
É a estrela que brilha no infinito
É a gravidade que me atrai.
O reflexo de um Ser Superior
Que se esconde no visível dos seres humanos.

És então a grandeza que esconde uma"nebulosa de sentimentos"
Comporta uma complexidade de elementos muito bem organizados
Que funcionam sem intervenção humana.
Dimensões incalculáveis que não se medem com padrões terrestres
São seus sentimentos em ebulições.

Você ainda é
A foto mais aguardada
O beijo mais esperado
O perfume mais atraente
O toque mais ardente
A boca mais desejada
O cheiro que me invadiu.


quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Impressionante

Se você fosse mais linda, com certeza não caberia em si mesma.
Sua inteligência faz com que algumas cabeças pareçam apenas enfeite do corpo.
Suas mãos e sua boca são como parte de um todo inexpressível 
Seus olhos como pedras umedecidas com orvalho de sagacidade
..
ah depois eu termino!!

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Linda

LINDA, VOCÊ É DESLUMBRANTE.
TAMBÉM ESTONTEANTE.
ESTONTEADO ESTOU POR VER-TE RAPIDAMENTE POR ENTRE OS CARROS
LOUCO FIQUEI COM VONTADE TE APERTAR

LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDALINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA
LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA
LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA
LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA
LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA
LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA
LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA
LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA LINDA

sábado, 7 de setembro de 2013

Sobre você,

Assim descrevo:

Te beijaria por alguns minutos consecutivos
Olharia em seus olhos por minutos após minutos
Ficaria mudo por muitos minutos
Você me questionaria por horas.

Faria amor com você por horas
Te abraçaria por horas
Beijaria teu pescoço por horas
Me dominaria por alguns minutos

Beijaria teu corpo por completo como se fosse só tua boca
Cada parte sua é tão cobiçada por mim
Quanto o desejo de te querer quando estou distante
Morderia suavemente sua coluna vertebral
Desde a nuca até o final.

Deleitaria em tuas costas por horas a fio
Beijaria-te outra vez por completa provocando arrepios
Mãos em teus seios e barriga, ... altíssima temperatura
Eu ainda sentindo calafrio.

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Trilhos

A vida parece às vezes com uma viagem de trem.
A gente quase não percebe as subidas e descidas, mas é quase impossível não perceber as mais diversas faces da natureza nos lugares que hospedam os trilhos.
A viagem começa cheia de empolgação; a paz reina quase absoluta...dificilmente há risco de um acidente, já que o trem viaja tão solitário. É de se esperar paciência, haja visto que a viagem pode demorar bastante. A quilométrica corrente de vagões realmente não tem muita pressa. É pesado e seus compartimentos parecem oferecer certo tipo de segurança, afinal são aços bem testados. Ajuda a disfarçar a lentidão a calmaria que deslisa sobre os dormentes enquanto até dormem alguns na calmaria. Passear de um vagão para outro é quase uma ventura, já que são bem limitadas as opções de diversão durante a viagem. Há quem possa se gabar de viajar em um trem bala! Isso pode ser bom para um executivo, mas para quem quer viajar se divertindo, não precisa ser tão exigente.
Até mesmo um bondinho pode te tirar da rotina e renovar seus ânimos.
Acredite! Isso funciona.

"Sair dos trilhos" poderia ser apenas uma expressão para os maquinistas, agentes ferroviários e passageiros.
Na verdade, ninguém deseja pensar nessa possibilidade!
Mas pode ser uma realidade-metafórica-real quando se trata de pessoas.
Pessoas que conhecemos durante nossa vida, são como paisagens que encontramos nesta longa viagem.
Pena que alguns saem tão rápido do trem que nem pode considerar uma viagem.
A estação de uns são mais perto que de outros. Viajam tão pouco que nem percebem a beleza que se pode ver pelas janelas. Alguns não chegam nem apreciar o que se pode fazer, indo do primeiro ao último vagão.
Outros não sabem nem valorizar o bilhete que lhes custaram um certo preço.
Não somos nós quem pilotamos o trem; nós apenas viajamos.

Há paisagens tão belas em nossa viagem que desejamos parar o trem, sentar debaixo de uma árvore e pintar um lindo quadro. Apreciar como se não pudéssemos vê-la de novo.
Há cenários tão encantadores que são quase impossíveis de serem copiados.
Há tão belos espetáculos da natureza que ficam permanentes fixados na nossa memória; jamais conseguiremos pintar com tanta perfeição.
A viagem pode não ter volta, por isso cada lugar visto será único e permanente.

Enquanto não descarrilo, levo comigo minhas pinturas e meu grande quadro.
Sim, meu lindo e mais belo quadro que pude pintar.
Ele é colorido por todos os lados...sua moldura ainda me impressiona.
Suas cores são perfeitas e suas formas me deixam estasiado.
Só por esta paisagem já valeu a pena ter embarcado!
Ainda tenho o pincel e o desejo de continuar pintando, mas não precisa:
O quadro já é perfeito e está terminado. Não há preço que o compre.
Fixei-o na parede da minha memória e lá está bem guardado.

Nunca irá para leilão, nem jamais para museus!
Nem o mais perfeito pintor poderia reproduzi-lo. É mais que obra de arte.
É um pedaço da minha história que não ficou para trás na viagem:
Entrou no trem e viaja comigo.

Não é fruto de uma habilidade humana:
é fascínio de uma alma que viveu antes de pintar,
pintou e se misturou com a pintura,
se lambuzou e ainda cheira a tinta fresca,
e ainda olha para a tela como se tivesse apenas
começado a pintar.

Rico

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Futuro?

Dizer o que será de você ou o que você será no futuro...
Isso é limitar uma infinidade de possibilidades que poderá colocar um fim na sua busca.
Dizer o que serei, me impede de ser ainda melhor...
Até faço planos, mas deixo as coisas acontecerem!
Mas uma pessoa que não sonha e não planeja, dificilmente poderá ser alguma coisa.
Minha capacidade é bem limitada, quando quero. Quando quero, também posso ser quase ilimitado.
Ser capaz não define sua limitação, mas deixa mais claro dentro de você quem realmente você pode ser:
Capaz de esperar...
Capaz de enlouquecer de vez em quando...
Capaz de passar noites sem dormir...
Capaz de fazer uma loucuras, mesmo que por um momento...
Capaz de olhar pra si mesmo de dizer: eu sou foda.
Capaz de dizer: "como é que pude fazer isso?"
Capaz de assumir: Sim, eu fiz isso!
Capaz de pensar se faria de novo.
Capaz de dizer sim, mas dizer não.
Capaz de ser sentir e não demonstrar,
Sorrir chorando e chorar sorrindo...

Limite-se e serás apenas refém de suas próprias fronteiras!!!

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Você, mulher brasileira!

Você é flor que se cheira,
É perfume que se aprecia
É mulher linda e destemida,
Você é mulher brasileira!

Ainda bem que nasceu neste solo
Que nem sempre é tão gentil, como descreve o hino
Mas sua garra e determinação
Supera os desafios e faz o Brasil parecer um menino.

Sua pele macia e cheirosa causa delírios sem piedade
Onde deixa a fragrância se acumulando com a saudade
Mulher brasileira não é só felicidade,
É superação na raça da sua verdade.

Você é forte, explosiva...maravilhosa.
Não tem mais jeito: Quem te conhece não te esquece
Ama e odeia ao mesmo tempo.
Brasileira, brasileira teu calor ainda me aquece.

terça-feira, 20 de agosto de 2013

No ritmo

Ouço muitos sons e ritmos todos os dias,
mas há uma música que não me sai da cabeça!

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

terça-feira, 30 de julho de 2013

Desafios

Eu quase posso ver o sonho que estou sonhando, mas há uma voz dentro da minha cabeça dizendo: Você nunca vai alcança-lo. Cada passo que eu estou dando, cada movimento que eu faço, pareço perdido, sem direção - apenas parece.

Minha fé está abalada mas eu, eu tenho que continuar tentando; Tenho que manter minha cabeça erguida, pois sempre haverá outra montanha...eu me conheço: Eu sempre vou querer movê-la.
Sempre será uma batalha difícil e às vezes eu terei que perder...mas eu consigo, eu me conheço.

Não é sobre o quão rápido eu chego lá ou sobre quem está esperando do outro lado...É a escalada que tem que ser feita.

As lutas que estou enfrentando, as oportunidades que eu estou tendo às vezes podem até me derrubar, mas não, eu não estou caindo. Eu posso não saber disso, mas estes são os momentos que eu mais vou lembrar, com certeza.

Só tenho que continuar e tenho que ser forte, continuar me esforçando. Porque, sempre haverá outra montanha; eu sempre vou querer movê-la. Sempre será uma batalha difícil e pode ser que eu tenha que perder.

O mais importante não é o quão rápido eu chego lá. Não é o que me espera do outro lado.
É a vida que não para e tão pouco eu. Porque, sempre haverá uma outra montanha e posso dizer? eu me conheço: Eu sempre vou querer removê-la.
Sempre é uma batalha difícil, acho que quase terei que ceder, mas me conheço.

Continuo em movimento, continuo tentando...


Mil anos

Para quem ama o tempo todo, o que seriam mil anos?
Seria apenas um momento de espera,
Um tempo de intensa busca,
Uma forma de aprender a ser paciente,
Uma angústia ignorada,
Uma oportunidade para se conhecer,
Um tempo de reflexão
O descobrimento de um novo tom
Um novo som,
Um tempo de se rejuvenescer,
...

Devaneios

Eu paguei minhas dividas, e ainda pago
Pouco a pouco, uma hora termino
Eu completei minha sentença,
Mas não cometi nenhum crime

E erros sérios cometi poucos,
Ainda me custam um bocado.
Eu tive meu pouco de areia
Atirada sobre a minha face
Mas eu sobrevivi.


A Maquete da Minha Obra

Tijolo por tijolo...cada grão de areia
Força, juntou as forças...forçou  esforçou-se
De repente, surgiu!

Portas e janelas abertas...
Mobília se junta à minha bagunça...coisas fora do lugar!
Me encontro e deito...sonho!

Ficou linda a Obra, linda...
Estou lá dentro, quem está fora não vê, mas estou lá.
Adormecido, uma hora acordo.

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Obrigado

Obrigado pela viagem !
Você fez doze horas de viagem passar rápido como doze minutos.
Fez a distância parecer apenas um detalhe
Feito um soneto bonito.

Fez o cansaço virar força e o sono acordar.

Trouxe companhia a quem estava sozinho,
Provocou alvoroço em quem estava quietinho...
Tornou o silêncio uma longa (e bota longa nisso!) conversa,
Converteu a solidão em prosa e o lamento em verso...

Vazio agudo, estava meio cheio de tudo.

Rejuvenesceu meu coração,
Ao pedir permissão para assentar ao meu lado.
Me olhar daquele jeito me deixou embaraçado,
Que nem sequer pensei em ser mal educado.

Não podia acreditar ao te deixar no terminal
E seguir meu caminho para cumprir meu ritual,
Que me fez sentir mal ao te deixar só, apesar de acompanhada por parte da familia,
Quando ao me ver sozinho uma hora depois, não tinha certeza se ainda estava a uma milha.

À tarde, ao voltar pro local de partida,
Fiquei tão abatido como se tivesse perdido um tesouro estimado
Pois você enriqueceu e alegrou minha vida naquele dia,
Mas retornei à tristeza ao voltar sozinho naquele ar condicionado.

Pensando em como esquecer o que não sai da cabeça.

Agora estou destroçado de novo
Onde você está não posso ir,
Já que depois que aprendi a enriquecer os outros,
Esqueci de mim, e a lembrança foge ao forçar o céfalo.

Bom e trágico, um quase malévolo.

Volte, e me grite,
Faça o que disse que faria.
O ônibus chegou, mas a viagem continua
E espera outra noite que poderá ser minha e sua.

... - ... - ...

terça-feira, 25 de junho de 2013

Houve um tempo

Houve um tempo em que o dois e o quatro eram apenas algarismos.
Tempos de descobertas onde a habilidade com números era passaporte para "status". Sei que disso realmente carece um esforço maior para saber do que se trata, visto ser um assunto de raro debate.
Foi uma Era em que poderia soma-los e chegar no surpreendente número seis; já não se usa mais métodos assim...novos tempos também trazem novas interpretações numéricas. Liga não; tempos rumos à modernidade.
Numero simbólico, já que se afirma que tudo fora criado em seis dias, dependendo do folclore. Mas o dois e o quatro juntos contam como vinte e quatro. E isso sim faz sentido, visto que não se chega ao 30, como eram contados os dias para fecharem um mês completo...isso na História Antiga.
O que me move a pensar é que houve um tempo em que o seis completava esse ciclo...pois agora já existe mês com 31. Então, seja como for, o fim do mês até passa pelos números pares, mas pode acabar com números ímpares.
O número seis é só a metade de um ciclo, que se fecha em 12. Vinte e quatro seria o dobro do ciclo, trazendo inúmeras possibilidades. Portanto, pensar em números pode acabar dando em nada ou levando a uma grande descoberta:  melhor maneira de trabalhar com eles é melhorando sua conta bancária.
Se souber fazer conta vai chegar em um denominador surpreendente...

mas só se souber usar os números!

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Por Hoje

Hoje eu preciso de um abraço,
Não preciso de julgamento.
Só preciso de alguém que me abrace e não pergunte nada;
Apenas o silêncio.
Não me pergunte nada...deixe-me ficar quieto, não me questione.
As palavras vão me constranger...então deixe o silêncio falar por mim.
Eu sei que isso é querer demais, por isso preciso de alguém acima da média...
Não preciso ser forçado a nada...apenas de um abraço...
Bem apertado...
Ficar por meia hora com os olhos fechados...
apenas esperando o tempo passar...
E se eu for embora calado, me dê razão ou não!
Mas não julgue, mesmo com evidências...
Não preciso de um tribunal...
Preciso de um refúgio...
Me estenda a mão hoje, por hoje!
Estenda-me...por favor.




terça-feira, 28 de maio de 2013

Conjugações verbais

Se fores, não voltes.
Se voltares, não me deixes.
Se deixares-me, compadeça-te.
Compadecendo-te, levante-me.
Levantando-me, abrace-me.
Abraçando-me, beije-me.
Beijando-me, ame-me.
Amando-me, sussurre.
Sussurrando diga: ame-me.
Amante-te, vivo...
Vivendo, te amo!

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Night

Chegaste de novo. Veio muito sorrateira mas foste notada.
Notei sua chegada. Acompanhei-a até que a vi ir embora.
Fiquei só; busquei o laser e o fiz clarear-te enquanto estavas.
O laser também se foi quando foste.
Não foste a única a ir, mas sei quando chegas de novo.
E aí tu vens. Quando estás, o laser pode ser notado outra vez.
Veio ele e trouxe consigo alguns quilômetros de alcance...
Clareou, clareou...eu vi. Fui eu quem iluminou...
Alcançou; longe, é verdade. Mas brilhou...

quinta-feira, 16 de maio de 2013

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Folhas de papel


Sacrifiquei muitas folhas de caderno.
Comecei várias vezes a escrever a mesma coisa.
Quando chegava a determinado ponto eu achava que poderia melhorar e então, recomeçava;
E então lá se ia mais uma folha, surgindo mais uma bolinha de papel.

O que escrevi, escrevi. Ainda preciso escrever.
Ainda tenho o caderno, que por sinal, ainda restaram algumas páginas...
ainda não sei o que será escrito...
mas pode ser que também sejam sacrificadas.

As folhas não pedem clemência, pois sabem que ao menos é uma tentativa de serem úteis para o fim para o qual foram feitas.
As folhas, assim como todo o caderno, foram árvores de todas as formas e tamanhos.
Hoje, a forma de cuidar desta - outrora - árvore é outra.

Estou aprendendo a lidar com a falta de chuva...
com a falta de sol...
com a falta da árvore.
Não importa. Pelo menos ainda tenho
Uma folha de papel.


domingo, 24 de março de 2013

A Chuva

Fui completamente molhado pela chuva
Sim, a chuva que lentamente caiu.
Ao senti-la em mim parecia fria,
Mas logo me acostumei a ela.
Poucos minutos depois eu a aquecia
E aquecido ficava enquanto ela caía.
Deixei-me por completo molhar
Encharcado fiquei e já não queria mais me sacar.
Naquele momento era tudo o que eu queria.
Me senti criança de novo enquanto tudo acontecia...
Mais tarde quando tudo acabou, a chuva passou
Fiquei doente...
E eu já não era mais aquele garoto contente.
O frio do início começou a voltar;
Eu tremia; Minha cabeça doía.
E neste outro momento
O que eu mais precisava no entanto,
Era ver o sol novamente brilhar...
Brilhou !!!

sexta-feira, 15 de março de 2013

É SEMPRE ASSIM:

Quando a luz da aurora flutua
sobre a calorosa manhã de qualquer estação
A brisa que consigo traz
Alivia o dia que espera uma grande tensão.

E eu então?
digo a mim mesmo:

Forte espírito guerreiro
que entro de mim se agita
sufoque um pouco este coração
que de vez em quando grita:

Que saudade !