sábado, 21 de dezembro de 2013

Ainda Você

Você tem as cores que inspiram a pintura perfeita.
Você é a paisagem que eu gostaria de ver todos os dias
Eu seria o vento que te assopra
A chuva que te molha
O sol que te aquece
O chão que te sustenta
A nuvem que te cobre
A foto que te eterniza
A pintura que te merece.

Água de Ti

Se você fosse um rio, eu nadaria em ti todos os dias
Mergulharia sem medo de perder-me em tuas águas
Me banharia pela manhã e levaria um pouco de ti
Para beber durante o dia
Até que o entardecer me proporcionasse outro banho.

Colocaria uma placa de "Proibido Pescar"
E acrescentaria em baixo "Proibido Banhar"
Para que você fosse somente minha
E jamais deixaria as suas águas sujarem.

Minha sede é tamanha
Que beberia por horas,
Por dias e pra sempre.

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

As Palavras

Como sufoquei palavras este ano!
Como me sobraram fragmentos
De sentimentos
Que adoraria falar que amo.

Como me arrisquei com as sílabas que escaparam
Ameacei várias vezes publicar tanta coisa.
Restou quase que nada, visto que guardei tanto de uma
Improvável confissão que forçou-me a consentir calado,
Mudo e insatisfeito, por não ter mais peito que
Bata no ritmo certo
Ou que me dê a chance de chegar pelo menos perto.

Poupei-me muito pouco
Ri feito louco
E escondi o que estava dentro
Guardado a sete chaves
O grande grito de espanto de um apaixonado.

E Foram os Dias

Bem, mal percebi que o ano havia começado
E logo vi que o novo já virou passado...como eu gostaria de ter feito uma coisa!
Aliás, expectativa que perdurou o ano inteiro, o tempo todo
Termina com o ciclo que se finda, mas
Logo recomeça com o próximo calendário.
E todo o tempo será novamente de espera, de expectativas;
Só posso imaginar que a vida será mais linda.

Isto pode até ser um presságio em algumas linhas.
Na minha escrivaninha um longo texto se arrasta, como sempre
Minhas vontades e desejos se manifestam e são sufocados...mas não morrem
Yalu! eu poderia exclamar como transliteração da minha realidade;
Lutaria contra minha insanidade que me torna ridículo
Indo e vindo nos dias que ocupam o mesmo ciclo...e fujo de mim mesmo
Feito "rabo" que teima em fugir da mordida
E sentindo que vai ser diferente as novas oportunidades da vida.