sábado, 9 de abril de 2016

Pudor

Certas palavras nos dão a impressão de que voam, ao saírem da boca.
"Sílfide", por exemplo.
É dizer "Sílfide" e ficar vendo suas evoluções no ar, como as de uma borboleta.
Não tem nada a ver com o que a palavra significa.
"Sílfide", eu sei, é o feminino de "silfo", o espírito do ar, e quer mesmo dizer uma coisa diáfana, leve, borboleteante.
Mas experimente dizer "silfo".
Não voou, certo?
Ao contrário da sua mulher, "silfo" não voa.
Tem o alcance máximo de uma cuspida.
"Silfo", zupt, plof.
A própria palavra "borboleta" não voa, ou voa mal.
Bate as asas, tenta se manter aérea mas choca-se contra a parede.
Sempre achei que a palavra mais bonita da língua portuguesa é "sobrancelha".
Esta não voa mas paira no ar, como a neblina das manhãs até ser desmanchada pelo sol.
...

Luís Fernando Veríssimo

Nenhum comentário: