terça-feira, 30 de julho de 2013

Desafios

Eu quase posso ver o sonho que estou sonhando, mas há uma voz dentro da minha cabeça dizendo: Você nunca vai alcança-lo. Cada passo que eu estou dando, cada movimento que eu faço, pareço perdido, sem direção - apenas parece.

Minha fé está abalada mas eu, eu tenho que continuar tentando; Tenho que manter minha cabeça erguida, pois sempre haverá outra montanha...eu me conheço: Eu sempre vou querer movê-la.
Sempre será uma batalha difícil e às vezes eu terei que perder...mas eu consigo, eu me conheço.

Não é sobre o quão rápido eu chego lá ou sobre quem está esperando do outro lado...É a escalada que tem que ser feita.

As lutas que estou enfrentando, as oportunidades que eu estou tendo às vezes podem até me derrubar, mas não, eu não estou caindo. Eu posso não saber disso, mas estes são os momentos que eu mais vou lembrar, com certeza.

Só tenho que continuar e tenho que ser forte, continuar me esforçando. Porque, sempre haverá outra montanha; eu sempre vou querer movê-la. Sempre será uma batalha difícil e pode ser que eu tenha que perder.

O mais importante não é o quão rápido eu chego lá. Não é o que me espera do outro lado.
É a vida que não para e tão pouco eu. Porque, sempre haverá uma outra montanha e posso dizer? eu me conheço: Eu sempre vou querer removê-la.
Sempre é uma batalha difícil, acho que quase terei que ceder, mas me conheço.

Continuo em movimento, continuo tentando...


Mil anos

Para quem ama o tempo todo, o que seriam mil anos?
Seria apenas um momento de espera,
Um tempo de intensa busca,
Uma forma de aprender a ser paciente,
Uma angústia ignorada,
Uma oportunidade para se conhecer,
Um tempo de reflexão
O descobrimento de um novo tom
Um novo som,
Um tempo de se rejuvenescer,
...

Devaneios

Eu paguei minhas dividas, e ainda pago
Pouco a pouco, uma hora termino
Eu completei minha sentença,
Mas não cometi nenhum crime

E erros sérios cometi poucos,
Ainda me custam um bocado.
Eu tive meu pouco de areia
Atirada sobre a minha face
Mas eu sobrevivi.


A Maquete da Minha Obra

Tijolo por tijolo...cada grão de areia
Força, juntou as forças...forçou  esforçou-se
De repente, surgiu!

Portas e janelas abertas...
Mobília se junta à minha bagunça...coisas fora do lugar!
Me encontro e deito...sonho!

Ficou linda a Obra, linda...
Estou lá dentro, quem está fora não vê, mas estou lá.
Adormecido, uma hora acordo.