terça-feira, 8 de agosto de 2017

;)

Um dia eu parei para conversar comigo um pouco.
Estava agitado, com tantos compromissos para dar conta que não quis me ouvir e um eu ficou no lugar feito estátua falando, enquanto o outro continuava a mover-se muito rápido fingindo que entendia tudo, apesar de cuidar de tantas coisas ao mesmo tempo.
Um Eu falava e o outro gesticulava que ouvia;
O Eu que falava não se dava conta que o outro nada dizia;
O Eu que mudo ficava tinha melhores palavras que o primeiro falante insistia.
O Eu que calava invejava as palavras do falante que se exibia
O Falante falava demais, mas nunca bastava para explicar o que queria.
Queria muita coisa, mas coisas simples complicavam as muitas vontades que suas palavras diziam.
Disse tanto;
Ocultou tanto;
Gesticulou muitíssimo no espaço só, que os dois discutiam.
O espaço estreitou e empurrou os dois para outra dimensão,
Aonde até hoje predomina a mesma discussão de um eu só,
Enquanto na ausência de palavras do outro, o falante sente a consequência das que sobram e terminam como pó.
...

®i©o
Ü